Com muita espontaneidade, cantora fala sobre a mulher de hoje e elege a mãe como modelo

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ModeloiG%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237492850885&_c_=MiGComponente_C

Cuba, Rússia, Espanha e Brasil. A formação da cantora Marina de La Riva é um caldeirão cultural. Ela nasceu no Rio, mas seu pai é cubano, a avó é russa e o avô, espanhol. E foi com essa mistura de referências culturais que Marina conquistou o público e a crítica.

Conversamos com a cantora e pedimos para ela nos ajudar a traçar um perfil da mulher de hoje . Espontânea, Marina não perdeu o bom-humor na hora de responder e mostrou por que é uma das mulheres mais admiradas do cenário musical.

O que é ser mulher hoje?
Ser mulher é eleger prioridades. Acho que nós somos bombardeadas com obrigações e deveres. Mas nós temos que lembrar que somos seres humanos com finitude, temos um limite .

E o que é mais difícil para as mulheres?
Ter paz. Nós somos muito acossadas . O importante é a mulher saber quem ela é, porque a gente está aqui de passagem.

Qual é a mulher mais interessante que você conheceu?
Minha mãe . Porque ela é real.

Já conseguiu descobrir o que as mulheres realmente querem?
Ela quer ser mulher na sua total potencialidade. Quer realizar ao máximo, usar todo o seu potencial .

O que seria bom pegar emprestado dos homens?
O que eu pensei não posso dizer [rindo]. Não é polido... Das coisas que eu posso dizer, acho que os homens são mais bem-resolvidos que nós em alguns aspectos, principalmente em como lidam com a vida. Eles são mais diretos, acho que poderíamos emprestar essa objetividade masculina.

Leita também: Jornal elege lava-roupas como símbolo da independência feminina

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.