Essa é a maior representatividade que as mulheres já obtiveram, mas nem todos os parlamentos do mundo registram tais avanços

Último Segundo

Segundo estatística da União Interparlamentar (UIP), do total de 44.644 vagas de parlamentares no mundo, 8.094 são preenchidas por mulheres . De acordo com a análise revelada pela organização nesta quinta-feira (5), isso representa uma média de 18,3% em todas as câmaras.

"É uma pena que todos os parlamentos do planeta não registrem avanços (...). Ainda há muito a ser feito nos países em que as mulheres são amplamente sub-representadas nos órgãos de decisão", revelou no entanto o presidente do UIP, o namíbio Theo-Ben Gurirab.

Segundo as estatísticas da UIP (relativas ao fim do mês de fevereiro) "as mulheres ocupam um número recorde de cadeiras parlamentares ao final das eleições e das renovações legislativas que foram realizadas em 54 países em 2008".

Onde elas são eleitas

Os 18% das mulheres parlamentares representam "um aumento de 60% em relação a 1995 ", destacou o UIP que reúne os representantes de 154 parlamentos nacionais e de 8 assembléias regionais.

A UIP destacou também que, pela primeira vez, 15% das câmaras parlamentares (ou seja, 39 de 264), em 32 países, ultrapassaram o teto dos 30% de mulheres.

"Se a tendência geral é um aumento da representação das mulheres nos parlamentos, esse aumento não é o mesmo em todos os países", observou a organização, que tem sede em Genebra.

O conjunto da América Latina registrou avanços "notáveis", com um total de 21,5% das cadeiras parlamentares ocupadas por mulheres.

A progressão constante observada na Europa continuou nas eleições realizadas ano passado, colocando o continente em segundo lugar com uma média de 20,9% de mulheres parlamentares. Isoladamente, os países nórdicos registram sozinhos uma proporção de 41,4% parlamentares mulheres em suas câmaras.

A África também continuou avançando neste quesito, atingindo uma média de 18,5%, graças principalmente a alguns países como a Ruanda, que elegeu ano passado 56% de mulheres na assembleia. Com 17,5% das mulheres parlamentares, a Ásia também avançou nesse aspecto.

A região do Pacífico e os países árabes estão no fim da lista, com respectivamente 15,2% e 9,1% das mulheres parlamentares.

Como elas são eleitas

A UIP ressaltou que as mulheres são eleitas nos sistemas de representação proporcional (6% a mais em média) do que nos sistemas baseados no voto majoritário.

A utilização de cotas também desempenha um papel neste sentido, como ocorre no Nepal, onde as mulheres obtiveram 32,8% das cadeiras, graças a este sistema.

No final do ano passado, 31 das 264 assembleias parlamentares no mundo eram presididas por uma mulher, ou seja 11,7%.

Leia também: Manuela d'Ávila em defesa da igualdade

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.