Mulher de Obama também conta que já considera a Casa Branca seu lar e que não dispensou suas filhas das tarefas do dia-a-dia

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ModeloiG%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237492847709&_c_=MiGComponente_C

Último Segundo

Michelle Obama, mulher do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama , disse à revista espanhola "¡Olá!" que sente falta de um salário e que o trabalho de primeira-dama "não é muito bem pago".

Como ex-advogada e executiva de um hospital no qual ganhava mais de US$ 295 mil, Michelle afirmou em entrevista de 11 páginas à "¡Olá!", que o único aspecto de seu novo "trabalho" que não se enquadra em suas expectativas é a falta de pagamento.

Na entrevista, a primeira-dama descreve seu dia a dia na Casa Branca , um "lar" que já sente como dela, junto às filhas Malia , de dez anos, e Sasha , de sete, e ao marido, com quem afirma que se levanta às 5h30 para fazer exercício em um ginásio privado, para depois tomarem café-da-manhã juntos.

Ela diz que estimula as filhas a não perderem "os velhos costumes " e que, por isso, elas seguem fazendo suas camas e limpando seu quarto. Lavar os pratos depois do jantar e fazer seus deveres de casa são outras tarefas que Michelle inclui na rotina das meninas, que "devem continuar sendo obedientes ".

"Cresci numa família com uma forte conexão com a fé e a religião , e estamos tentando dar a nossas filhas alicerces básicos, compreensão e respeito por Deus", conta.

Leia também: Carla Bruni recorrerá à adoção se não ficar grávida

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.