Descoberta ajuda pesquisadores a descobrir a origem da rainha do Egito

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ModeloiG%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237492852171&_c_=MiGComponente_C

Em 1963, Elizabeth Taylor imortalizou a imagem que temos de Cleopatra . O cabelo escuro, a pele clara e os tracos delicados da atriz se tornaram nossa referencia mais forte de uma das personagens mais enigmaticas da historia.

Galeria de fotos: As multiplas faces de Cleopatra

A ultima descoberta do Instituto Arqueologico Austriaco, no entanto, deve mudar essa concepc?o. Estudos realizados com o esqueleto da princesa Arsinoe , irm? da Cleopatra, revelaram que a rainha do Egito era descendente de africanos .

A pesquisa ajuda a resolver uma quest?o antiga da Arqueologia: a origem de Cleopatra. Ha anos, cientistas debatem para saber se ela seria do Norte da Africa , da Grecia ou da Macedonia .

Arqueologos estudaram as dimens?es do cranio de Arsinoe e chegaram a conclus?o de que a princesa tinha caracteristicas de europeus, egipcios e africanos negros. O esqueleto foi encontrado na cidade de Efeso, na Turquia . A tumba em que estava foi aberta em 1929 e estima-se que tenha sido construida ha 2 mil anos .

Os cientistas usaram tecnicas forenses para descobrir a identidade do esqueleto encontrado na tumba. Alem disso, fizeram analise antropologica e arquitetonica da construc?o para ter certeza que a princesa era a ocupante do local.

Disputa pelo poder

De acordo com o jornal The Sunday Times, documentos historicos relatam que Arsinoe foi para a Turquia depois de disputar o poder com Cleopatra e Julio Cesar , o lider romano. Historiadores acreditam que a rainha egipcia mandou matar a irm? para evitar que ela tentasse tomar o poder novamente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.