Mais de 150 denúncias são registradas todos os dias nas delegacias da província de Buenos Aires

Último Segundo

Uma mulher é assassinada a cada três dias na Argentina por causa da violência machista. E este número aumenta progressivamente, como refletem as 166 denúncias realizadas diariamente apenas nas delegacias da mulher da província de Buenos Aires , a mais povoada do país.

Embora na Argentina não existam registros unificados e centralizados do Estado sobre os casos de violência em relação à mulher, como há em outros países, é possível observar que o número de denúncias cresce a cada ano, afirmou neste domingo (8) à Agência Efe Natalia Calisti, do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Os mais recentes dados disponíveis indicam que, nos primeiros dez meses de 2008, foram recebidas 52.351 denúncias de atos de violência contra a mulher, o que representa um aumento de 266% em relação às de 2006, que não chegavam a 20 mil.

Diante desta preocupante situação, e por causa do Dia Internacional da Mulher , as Nações Unidas apresentaram um relatório elaborado no final do ano passado e lançou uma campanha para tentar "eliminar a praga" da violência de gênero.

Ajuda pelo telefone

Outro dado oferecido por Calisti no caso da Argentina é que o número de atendimento telefônico ao qual as mulheres podem recorrer em casos de violência recebeu entre fevereiro e outubro de 2008 uma média de mil ligações mensais , das quais 46% corresponderam a pedidos de auxílio perante uma situação de emergência.

Das 10.946 ligações registradas nesse período, em oito de cada dez casos, o agressor era o ex-parceiro ou atual companheiro da vítima.

A estatística mostra que, em 92% dos casos, a violência sofrida era física , além de psicológica , enquanto, em 34% dos casos, houve também ameaças de morte , comentou a especialista.

Leia também:

Europa reafirma o compromisso com a luta pelos direitos das mulheres

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.