As modelos mais cheinhas estão em alta e terão um evento de moda no Brasil só para elas

Modelo no desfile da marca City Chic, no 
Rosemount Sydney Fashion Festival, na 
Austrália
Getty Images
Modelo no desfile da marca City Chic, no Rosemount Sydney Fashion Festival, na Austrália
O mercado da moda ainda prefere as sílfides esqueléticas, mas as modelos mais cheinhas, conhecidas como "plus size", estão conquistando seu espaço no restrito mercado fashion. Enquanto as grifes mais famosas ainda trabalham com manequins que vão, no máximo, até o 44, as lojas especializadas em tamanhos grandes se multiplicam e invadem as ruas – com roupas bem feitas e em sintonia com a moda.

Prova do sucesso da moda "plus size" é que agora elas terão uma Fashion Week especialmente para elas, que pretende reunir várias marcas especializadas em tamanhos grandes. O Fashion Week Plus Size , evento idealizado por Andrea Boschim, modelo Plus Size e consultora de moda, e pela escritora Renata Poskus Vaz, uma das autoras do blog Mulherão ,está marcado para acontecer no dia 24 de janeiro de 2010, na Casa da Caldeiras, em São Paulo.

Lidi Feliciano tem 34 anos, 1,71 de altura e pesa 87 quilos. Segundo a modelo, a sua carreira não foi algo planejado. "No ano passado, uma pessoa entrou em contato comigo em uma rede de relacionamentos da internet e perguntou se eu gostaria de ser modelo. Achei que fosse uma piada sem graça, mas não era", conta

Aos 36 anos, e há três trabalhando como modelo, Priscila Gusmão conta que seu primeiro trabalho apareceu quando uma amiga, dona de uma loja especializada em tamanhos grandes, precisou de uma modelo mais cheinha para uma campanha. Com 1,65 de altura e 95 quilos, ela decidiu aceitar o desafio.

Mercado que cresce
As modelos "plus size" dizem que o mercado nacional ainda é bem pequeno, mas que está crescendo bastante. Os empresários do setor perceberam que existe uma parcela da população com potencial de compra, que busca roupas de qualidade, com cortes atuais e em tamanho maiores - bem diferentes das peças GG que eram vendidas anteriormente, a maioria com cores apagadinhas e modelos extra folgados.

Beth Ditto, da banda Gossip, ícone Plus Size 
e fashion
Getty Images
Beth Ditto, da banda Gossip, ícone Plus Size e fashion
A fotógrafa Larissa Somberg diz que o mercado internacional acolhe esse tipo de profissional com mais facilidade, principalmente depois do evento Full Figured Fashion Week , com modelos Plus Size, que aconteceu em Nova York, em agosto, e o desfile da marca City Chic, no The Rosemount Sydney Fashion Festival , na Austrália. Mas ela acredita que em alguns anos o número de modelos e de catálogos desse filão serão mais frequentes no Brasil. "O mundo não tem apenas pessoas magras. Normalmente, as cheinhas têm um rosto lindo e podem mostrar o melhor delas”, diz. A cantora americana Beth Ditto, da banda The Gossip, que o diga. Ela se tornou ícone fashion e lançou esse ano uma linha de roupas "plus size" para a marca inglesa Evans.

A modelo Lidi diz que não basta estar acima do peso para se tornar uma Plus Size. “É preciso unir beleza e carisma e ser fotogênica", diz. Priscila lembra que os obstáculos são muitos e ter uma boa autoestima é fundamental. "Independente do seu tamanho, cor, estilo de cabelo, sempre existirá preconceito, mas temos que aprender a superar todas as dificuldades", diz. Lidi completa dizendo que ser modelo "plus size" não é uma apologia à obesidade. "Somos gordinhas com saúde", ressalta. E como muito orgulho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.