Colorida, alegre e exuberante, a linda Karina Bacchi conta um pouco sobre seu estilo e achados quando o assunto é moda

A modelo, atriz e apresentadora Karina Bacchi não passa despercebida. Pequena, compensa a pouca altura com a exuberância de seus olhos claros, o cabelo sempre volumoso e esvoaçante, e com o sorriso inconfundível.

Na hora de se vestir, é claro que tanta alegria se reflete nos looks. Cores vibrantes, estampas e experimentações fazem parte do repertório fashion de Karina, que não abre mão de visitar feirinhas quando viaja: "sempre encontro algo que pouca gente tem", diverte-se. Leia abaixo o bate-papo com a loira:


iG: Você conta com ajuda profissional para se vestir?
Karina Bacchi:
No dia a dia eu mesmo faço minhas composições, mas quando tenho dúvida no look recorro às pessoas que trabalham comigo. Mas eu também procuro estar sempre por dentro do assunto, vendo principalmente as redes sociais. Eu gosto de saber das tendências. Porém, o mais importante é saber adaptar tudo ao nosso estilo, conhecer nosso corpo. Porque não é tudo que vejo em uma passarela que posso vestir.

iG: Como define seu estilo?
Karina Bacchi:
Tenho um estilo jovial, gosto muito de cores e estampas. Curto coisas alegres. Não tenho um estilo definido.

iG: Qual a peça que você mais usa?
Karina Bacchi:
Short jeans desfiado e vestidos floridos para o verão é a minha pegada, além de ser superfeminino, delicado e prático de combinar, já que é só colocar acessórios.  

iG: Já pagou muito caro por algo e arrependeu-se?
Karina Bacchi:
Comprei um sapato por mais de R$ 1000 pela internet e chegou no tamanho errado. Não consegui trocar, foi dinheiro perdido e deu uma dor no coração. Acabei dando para uma amiga próxima que calçava o número certo.

iG: O que você disse que nunca usaria e acabou se rendendo?
Karina Bacchi:
Sempre tive grande problema com sandália rasteiras, por ter complexo em ser baixinha. Usava muito salto, desde os 14 anos quando comecei a trabalhar como modelo. Hoje em dia perdi o complexo, assumi o chinelinho e estou adorando.

iG: Qual o maior mico fashion que você já pagou?
Karina Bacchi:
Eu não sou uma pessoa muito básica, então adoro inventar moda. Quando isso acontece nem sempre acertamos. O perigo de errar é de 99%, risos. Então vejo muitas fotos exageradas, uma coisa over do tipo calça boca-de-sino com lenço amarrado no pescoço, mais presilhas no cabelo. Praticamente o carnaval em pessoa.

iG: Inspira-se em alguém na hora de se vestir?
Karina Bacchi:
Gosto do estilo descolado das irmãs gêmeas Mary-Kate e Ashley Olsen.

iG: É difícil escolher roupa para você?
Karina Bacchi:
Não, eu gosto muito de garimpar roupas principalmente quando viajo, ir nas feirinhas é sempre a boa pedida. Sempre tem bons achados fashion, e consigo descolar coisas usadas por poucas pessoas.

iG: Gosta de customizar?
Karina Bacchi:
Gosto muito de customizar. Minha mãe tem uma ONG chamada Florescer, que fica na favela de Paraisópolis, em São Paulo. Temos um trabalho de reciclagem com as mães da comunidade que se chama Reciclajeans. A gente utiliza muitas peças minhas, que doo para transformar. Dou ideias, criamos peças do resíduo têxtil e acabo participando de todo processo de criação.

iG: Qual foi a última roupa que comprou?
Karina Bacchi:
Na minha última passagem por Miami comprei várias camisetas meio destruídas, que têm uma modelagem mais transada para usar com os shortinhos desfiados que tanto amo.

iG: Você é consumista?
Karina Bacchi:
Extremamente. Adoro comprar, só que sempre tive muita noção de economia. Comecei a modelar aos 14 anos de idade, então aprendi a não desperdiçar dinheiro. Eu consumo, mas guardo um tanto e separo o que posso gastar. Me conheço, se perder o controlo eu vou fundo.

iG: No momento está paquerando alguma peça?
Karina Bacchi: Sempre tem alguma bolsa diferente. Mulher tem uma fissura por bolsas, porque roupa corremos o risco de emagrecer ou engordar. Mas uma bolsa de qualidade sempre vai vestir bem qualquer look.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.