Em sua primeira entrevista na TV desde 2011, quando foi flagrado em atitude racista, o ex-estilista da Dior revela: "Tenho me aproximado de quem magoei"

John Galliano deu su primeira entrevista à TV francesa desde o escândalo de 2011, quando foi acusado de racismo
Divulgação
John Galliano deu su primeira entrevista à TV francesa desde o escândalo de 2011, quando foi acusado de racismo

No último domingo (14), John Galliano deu sua primeira entrevista à  TV francesa desde 2011, quando foi flagrado num vídeo dizendo insultos antissemitas num café de Paris. O escândalo resultou em sua demissão do cargo de diretor criativo da Dior .

Segundo o site "WWD", Galliano admitiu à apresentadora Maïtena Biraben, do programa francês “Le Supplément”, que pretende voltar à indústria da moda: "Um passo de cada vez", disse ele, que atualmente é diretor-criativo da rede de perfumaria russa L'Etoile.

Durante o programa, foi mostrado o vídeo do escândalo. "Chapéu terrível não?", brincou ele sobre seu figurino. E e logo falou voltou a ficar sério. "Eu estaria morto agora. Isso é o que chamamos de fundo do poço", disse. "O lado positivo: há apenas uma direção e ela é para cima. Impossível ir mais para baixo do que isso."

Ele fez questão de dizer que não é antissemita e contou que busca perdão. "Eu não posso convencer a todos e sei que algumas pessoas jamais me perdoarão. Eu entendo. Mesmo assim, tenho me aproximado das pessoas que magoei para me desculpar. Faz parte da minha recuperação." Uma das pessoas com quem ele espera fazer as pazes é Bernard Arnault, CEO do grupo LVMH. "Estou esperançoso. Espero um dia ser capaz de visitá-lo e explicar o que aconteceu."

LEIA AQUI TODAS AS NOTÍCIAS DE MODA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.