Para o empréstimo de blusas, bolsas e acessórios dar certo, siga à risca os 10 mandamentos do closet compartilhado

A cantora Madonna e Lourdes Leon Ciccone, as empresárias Donata Meirelles e Heleninha Bordon, a atriz Fabiana Karla e sua filha Laura e até a duquesa de Cambridge, Kate Middleton, e sua mãe, Carole. Esses são apenas alguns dos casos mais conhecidos em que mãe e filha, se não dividem literalmente o closet, ao menos têm o hábito de se emprestar roupas, sapatos e outros acessórios uma à outra. A atitude é inteligente porque dá aquela turbinada no guarda-roupa de forma sustentável.

A fase de empréstimos mútuos normalmente chega quando a filha se torna adolescente e o manequim das duas fica igual. “A primeira vez foi durante as minhas primeiras entrevistas de emprego. Naquela época, não tinha peças mais básicas e sóbrias e minha mãe me salvou”, conta a publicitária Marcela Daniotti. “No meu caso foi quando comecei a frequentar festinhas. Eu pedia palpite sobre um look e minha mãe já opinava me trazendo alguma peça dela para usar”, lembra a designer Mayra Carvalho. O legal é que agora este é um caminho de mão dupla e as mães, tão antenadas quanto as filhas, também se beneficiam do troca-troca. “Adoro quando elogiam uma peça que estou usando e respondo: é da minha filha”, diz a funcionária pública Luciana Lazzarini.

Mas para saber o que funciona e o que não dá certo na hora de emprestar, mães e filhas contam suas regras:

1. Entenda que não é só porque a peça tem a sua numeração que ela vai cair bem em você. “Não posso usar aquela microssaia que elas usam, não iria combinar”, explica Luciana Lazzarini, 44 anos, mãe de Isabela e Rafaela.

2. Pense que a modelagem pode ser fundamental para uma roupa vestir bem mãe e filha. “Peças mais larguinhas costumam fazer rodízio entre os closets, pois são as que servem em nós três”, diz Isabela Lazzarini, 24 anos, terapeuta ocupacional.

3. Antes de fazer qualquer coisa com as peças em comum, leve em consideração a opinião de todas que as vestem. “Todas nós doamos as roupas que não usamos mais. Mas antes de tirar qualquer coisa de casa, sempre perguntamos: ‘Vou doar, vocês querem?’", completa a universitária Rafaela Lazzarini, 19 anos.

4. Respeite as particularidades de cada uma. Tem mulheres que não gostam de emprestar suas maquiagens, outras são desapegadas, mas fazem questão de ser as primeiras a usar uma peça nova. Algumas precisam ser avisadas e outras preferem que seu sapato especial só seja usado em uma festa de gala, e não para trabalhar, por exemplo.

5. Comprem juntas. Se emprestar já é uma rotina na sua casa, ir ao shopping center juntas fica mais divertido ainda. “Quando estamos viajando e vamos comprar roupas, buscamos tamanhos e modelagens que sirvam para as duas”, fala a designer Mayra Carvalho, 26 anos.

6. Experimente sempre. Quem dá a dica é a mãe de Mayra, a comerciária Sandra Peres, 52 anos: “Normalmente não usamos a mesma numeração para calça, mas ela tem algumas leggings que eu amo e posso usar”.

7. Beneficie-se do bom gosto alheio. “Ela tem um vestido cinza que usou em sua formatura que adoraria ter comprado para mim”, diz a modelo Maria Daniotti, 52 anos.

8. Saiba das suas limitações para evitar mágoas. “Prefiro não pedir as bolsas dela emprestadas porque eu sou um pouquinho descuidada e tenho medo de estragar”, assume sua filha de 29 anos, Marcela.

9. Por mais intimidade que você tenha, evite emprestar calcinhas e biquínis. É o que recomendam os ginecologistas.

10. Cuide do que não é seu. Segundo as nossas entrevistadas, o único motivo pelo qual já brigaram alguma vez foi a falta de cuidado. Esquecer de devolver, largar pela casa ou não avisar que vai pegar a peça emprestada pode ser um pecado fatal.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.