A internauta Renata Cristina Simões Teixeira contou sua experiências de mulher e mãe

Quando engravidei da Heloysa, nem imaginava o quanto significaria! O Vinycius nasceu em 99. Tive depressão pós-parto. Este e outros acontecimentos fizeram com que não quisesse mais ter filhos.

Um problema no colo do meu útero me impediu de prevenir uma gravidez e a única chance que a Heloysa teve... aproveitou. Engravidei num momento de muitas mudanças em minha vida, inclusive de estado. A gravidez foi cheia de cuidados, mas nada exagerado, e voltamos para a nossa cidade para o parto. Moramos em Ribeirão Preto, São Paulo, e havíamos ido para Marabá, Pará.

A Heloysa estava prevista para nascer em 6/1/2006, mas a esperávamos desde final de novembro. Sou filha de pais separados e sempre morei com minha mãe, nossa relação era muito forte. Minha mãe passou mal, com fortes dores de cabeça e aumento de pressão.

No dia 11/12/2005, eu, meu marido e meu filho fomos almoçar com meu pai. Após o almoço não me senti bem e quis ir para casa; porém, no trajeto resolvi ver minha mãe, que havia ido ao hospital.

Falamos sobre seus exames, e, quando falávamos sobre o Natal, minha mãe disse: "Minha dor de cabeça forte voltou. Não vai dar tempo!"

Os detalhes ficam para outra oportunidade. Eu e meu marido a socorremos e a suspeita de que fosse um aneurisma foi confirmada. Foram 2 aneurismas, minha mãe operou, ficou internada... completou 59 anos dia 21, a Helô nasceu dia 22 e minha mãe partiu dia 23.

Momentos difíceis, depressão, pânico, que estou vencendo com tratamento, fé, amor, força, um marido especial e uma família maravilhosa!!!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.