Se a primeira-dama dos EUA e uma das mulheres mais admiradas do mundo, sua m?e e a responsavel por isso

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237496375271&_c_=MiGComponente_C

Uma das mulheres mais admiradas do mundo, Michelle Obama conquistou as pessoas com sua postura firme e leal. Na edic?o de maio da revista norte-americana Essence , a primeira-dama revela que sua m?e, Marian Robinson , foi fundamental na formac?o do seu carater.

"Ela subestima completamente o papel que teve na formac?o de quem eu sou", diz Michelle. "Ela diz: 'Voce chegou aqui sozinha. Eu apenas fiquei fora do seu caminho', mas n?o e assim que eu vejo", explica.

A presenca de Marian durante a campanha de Barack Obama n?o foi ignorada e ela chegou a ser apontada como peca fundamental para a vitoria do candidato. Mas seu papel mais importante foi mesmo o de avo : enquanto sua filha viajava pelo pais para participar dos comicios, Marian era quem levava e buscava as netas na escola.

Bom-humor e compreens?o

Michelle Obama tambem conta na entrevista a Essence que a compreens?o que a m?e sempre teve com ela e com seu irm?o, o treinador de basquete Craig Robinson, foi fundamental para que eles se tornassem pessoas mais confiantes .

"Desde que aprendemos a falar, ela conversava conosco sobre toda e qualquer coisa com um nivel de franqueza e coragem que nos fez acreditar que eramos capazes de dialogar com adultos, que eramos respeitaveis o suficiente para fazer perguntas e receber respostas realmente serias", conta Michelle.

Reproduc?o

M?e e filha na capa da edic?o deste mes da revista Essence

M?e e filha na capa da edic?o deste
mes da revista Essence

A primeira-dama ainda destaca a importancia do bom-humor com que a m?e levava as coisas: "ela nos ensinou a trabalhar duro, mas sabendo rir das situac?es e de si mesmo para, ent?o, supera-las."

No entanto, a "primeira-sogra" da Casa Branca, ja disse em entrevistas que n?o da conselhos a filha. "Voce tenta fazer com que seus filhos n?o pensem como voce pensava quando tinha a mesma idade para n?o transmitir o que eu chamo de 'suas quest?es', que podem n?o se aplicar ao tempo e a vida deles. Eles ter?o seus proprios problemas , n?o precisam dos meus", explicou Marian.

Mais destaques da entrevista podem ser encontrados no site da revista Essence (em ingles)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.