Se existisse alguma palavra que pudesse ir além do significado de coragem, com certeza ela seria o adjetivo perfeito para definir essa carioca de apenas 20 anos. Audaciosa? ¿Casca grossa¿? Muito mais.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237496355030&_c_=MiGComponente_C

Maya Gabeira já é reconhecida mundialmente como a melhor surfista de ondas grandes. As grandes têm mais de três metros, mas podem chegar a dez ou doze metros. Imagine a quantidade de água em uma onda desse tamanho.

Maya é a primeira mulher brasileira a conquistar o título de campeã do XXL 2007 Girls Overall Performance, por ondas que surfou em Todos os Santos, no México e Waimea, no Havaí. Ela começou a praticar o esporte enquanto esperava, sentada na areia, um ex-namorado que adorava passar horas no mar surfando com os amigos. Cansada de tanto esperar, decidiu agir: matriculou-se em uma escolinha de surf no Rio de Janeiro. O namorado virou ex, mas a paixão pelo surf foi se tornando cada vez mais forte. De lá para cá, o caminho é de conquistas.

A big rider (como são chamados os surfistas de onda grande) é filha do Deputado Federal, Fernando Gabeira. Mas sempre se interessou muito mais pelo surf do que pela política. Entre uma onda e outra, Maya Gabeira nos deu uma entrevista.

Dá até um frio na barriga só de ver as suas fotos surfando aquelas ondas gigantes. Como você lida com o medo?
Tento me alimentar dele, transformá-lo em adrenalina e não deixar nunca o medo me controlar. Com o medo, acredito que ficamos muito mais ligados e nosso nível de desempenho tem grandes chances de ser o mais alto possível! Nesse caso, é bom sentir medo para também te deixar ligado dos perigos.



Com que idade você começou a surfar e como surgiu o interesse?
Comecei a surfar aos 14 anos, meu namorado na época era surfista e íamos muito à praia. Daí surgiu meu interesse em aprender!

Em quais países você já surfou? Qual foi o que mais gostou?
Taiti, África do Sul, Indonésia, Austrália, Panamá, Costa Rica, Hawaii, Estados Unidos. Os que eu mais gosto são Havaí e Indonésia!

Hoje você mora no Havaí. Sente falta do Brasil? Se sim, do quê?
Sinto muita falta da minha família e amigos. E também da comida que é a melhor do mundo!

Qual foi o momento mais emocionante da sua carreira até hoje?
Dia primeiro de Novembro de 2007 quando surfei em Teahupoo, Taiti, uma onda gigante ao lado de todos meus ídolos!

Como é ser surfista no Brasil?
Não sei como é no Brasil, mas ser uma surfista brasileira faz com que tenhamos que trabalhar mais para conseguir um reconhecimento internacional, com certeza!

Sente algum tipo de preconceito nessa área por ser mulher?
Tem sua vantagens e desvantagens. Às vezes um pouco de preconceito, mas também já tive muito apoio por ser mulher. Os homens querem ajudar e te proteger!

Você tem planos de se casar e ter filhos?
Não está nos planos agora, mas quem sabe no futuro!

Pensa em, mesmo com filhos, continuar surfando?
Não quero parar de surfar nunca. Com 90 anos, se eu tiver viva, com certeza estarei surfando também!

Qual seu próximo desafio?
Me preparar para surfar em Jaws (no Havaí, onde rolam grandes ondas) no futuro!

Ser filha do deputado Fernando Gabeira facilitou ou dificultou alguma coisa pra você?
Acho que facilitou na mídia no começo, mas depois demorou para que eu conseguisse virar Maya Gabeira e não só a filha do deputado!Como sempre, existem vantagens e desvantagens.

O que sua família acha de você surfar essas ondas gigantes?
Me apóiam muito.

O que você sente quando está em uma onda grande? Tem como descrever um pouco?
Acho que sensação de liberdade e poder de viver aquele momento intensamente.

Tem um sonho? Qual?
Um dia poder competir em ondas grandes!

O que você diria para as garotas que desejam ser surfistas?
Peguem a prancha e vão para a praia, é um esporte que requer dedicação principalmente no começo. Mas depois vocês irão colher os frutos do esforço quando estiverem pegando ondas em qualquer praia!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.