Massagem sensual: aprenda a fazer

Por Cáren Nakashima

Texto

O toque envolve, aproxima e excita. A sexóloga Carmen Janssen explica: basta querer para fazer uma massagem delícia

Getty Images
A massagem se diferencia de outras práticas eróticas por ser muito afetiva e um pouco mais fácil de ser inserida na rotina do casal

Ela é craque no assunto. Carmen Janssen, sexóloga, é autora do livro Massagem Sensual para Casais Enamorados e a primeira coisa que ressalta sobre aquilo que ensina é que há muito sensacionalismo no que diz respeito à sexualidade! É fundamental lembrar que o mais importante não são as técnicas. É bom aprender alguns toques, mas ninguém precisa ser expert em massagem para tocar com carinho a pessoa que ama. Entregue-se às sensações que o encontro proporciona. A massagem sensual é um excelente veículo para a percepção dos cinco sentidos. Estimule-os um por um e, sobretudo, sem pressa. Quer saber como?

Para você fazer nele
Há várias formas de iniciar uma massagem sensual, comenta a sexóloga. Para começar, experimente deitá-lo de barriga para baixo e comece pelos pés, relaxando os pontos reflexos do seu amado. Pressione a planta do pé com seus dedos polegares em movimentos ascendentes, depois gire o pé em sentido horário e anti-horário. Capriche na panturrilha e vá subindo até o bumbum, ensina.

O momento é propício para ousar: dê lambidinhas e mordidinhas nessa região para estimulá-lo e suba para as costas, como ela descreve: Capriche, sempre alternando movimentos leves com toques mais intensos. Em seguida, vire-o de frente para você, beije todo o rosto e a boca dele, passando os seios sobre o seu peito. Vá descendo, massageando-lhe os genitais, de forma suave. Continue amassando os músculos das coxas, acariciando as pernas até chegar novamente aos pés. Depois suba acariciando o corpo dele com seus cabelos e beijando todas as partes do corpo que desejar...

Agora é a sua vez!
Alternar o responsável pela massagem sensual sugere troca, cumplicidade e que não há egoísmo nesta relação, então dê a ele algumas dicas. No meu livro, além de ensinar o casal a utilizar todos os sentidos para o desenvolvimento de maior proximidade emocional, estimulo também o aprimoramento da sensualidade amorosa por meio dos toques da massagem. Para os homens, lembro que é importante olhar nos olhos, dizer o que sente e tocar com afeto, conta Carmen.

Ele deve beijar a mulher e dizer palavras sinceras de apreciação ao tocar-lhe o rosto, lembra a sexóloga, uma vez que a maioria das mulheres reclama da falta de afetividade de seus parceiros na hora H. Aconselho-os a beijar-lhes o pescoço, os braços e os seios sem pressa com ou sem óleo de massagem, relata. Ele deve fazer movimentos de amassar para relaxar os músculos e estimular a circulação, caprichar no baixo-ventre e nas coxas, descendo até os pés, ensina.

Uma pitada de massagem tailandesa sensual é bem vinda. Basta que ele a massageie com o próprio corpo, sem se esquecer de beijá-la (que tal fazer nele e pedir que repita?).

Depois ele pode virá-la de costas e recomeçar de baixo para cima, intercalando toques com beijos e lambidas até chegar na cabeça. Falar baixinho algo erótico em seu ouvido é uma boa pedida, sugere Carmen. O fundamental é se envolver.

A importância do toque
O toque nos faz entrar em contato com a afetividade do outro, explica Janssen. Além de ser uma forma de comunicação essencial em todo relacionamento amoroso, aproxima emocionalmente o casal. Quando nascemos, o toque é o primeiro sentido que nos faz ter percepção de nossa existência e a maneira como somos tocados pode ter grande influência na nossa sexualidade no futuro, revela.

Use o tato como meio de comunicação e lembre-se que ele não se restringe às mãos: O casal deve sempre trocar muitos beijos, mesmo que seja apenas um selinho na pressa. Carmen enumera também outras formas de se tocar, tais como abraçar com braços ou com as pernas, ajeitar os cabelos do outro ou alisar a sobrancelha.

Inocentes, eles constroem a porta de entrada perfeita para o toque sensual, aquele que estimula o erotismo e pode ser traduzido como a tradicional passada de mão no bumbum. São tantas as maneiras de tocar que ficaríamos horas descrevendo-as e não esgotaríamos as possibilidades. E para que isso tudo vire frequência, basta ter a intenção de se manter próximo, tomar a atitude. A prática faz o hábito, o que pode ser transformador na vida do casal, diz. Vamos lá, mãos à obra!


Carmen Janssen ¿ Sexóloga, www.energiadoamor.com.br

Leia mais sobre: massagem

Leia tudo sobre: amormassagemmassagem sensualmulherrelacionamentorelaçãosexo
Texto

notícias relacionadas