Violência e liberdade. Esses são dois dos grandes dilemas dos pais modernos

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ModeloiG%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237491664540&_c_=MiGComponente_C

Até onde eles podem dar liberdade para seus filhos em um relacionamento? Vale a pena proibir o adolescente de namorar em casa e deixar com que eles corram riscos fazendo sexo em lugares públicos ou perigosos?

No final de 2003, um crime chocou todo o país e trouxe essa discussão à tona. Os jovens Liana Friedenbach, de 16 anos, e o namorado Felipe Silva Caffé, de 19, saíram para acampar escondidos dos pais em um sítio abandonado em Embu-Guaçu, na Grande São Paulo. Logo no primeiro dia os adolescentes foram abordados por dois homens que os assassinaram, além de violentarem Liana por cinco dias.

Diante de fatos como esse, a questão que surge para os pais remete ao seguinte choque de idéias: como equilibrar educação e os limites sem fechar os olhos para os reais perigos da violência? Vale a pena proibir os filhos de fazer sexo em casa e correr o risco de tê-los como esse casal de Liana e Felipe? Para a psicóloga Denise Impastari a pergunta é mais complexa do que se imagina. A questão não é apenas permitir ou negar que os filhos façam sexo em casa, mas sim entender como a sexualidade é vista pelos pais e como é passada para os filhos.

Muitas famílias brasileiras ainda mantêm uma visão conservadora e preferem não discutir o assunto, ignorando o início da vida sexual dos filhos. Transei pela primeira vez quando tinha 15 anos, fiquei sozinha em casa enquanto meus pais estavam viajando. Mesmo sabendo que eles não aprovariam, achei melhor contar para minha mãe, mas ela não recebeu a idéia bem, aliás foi uma conversa muito difícil, conta a estudante Karina Costa, agora com 20 anos, e que até hoje afirma não ter intimidade para conversar sobre sexo com os pais.

De acordo com Denise, fazer de conta que nada está acontecendo não é a melhor escolha. O interessante é sempre estabelecer um diálogo sobre o assunto com os filhos. Os pais devem orientar sobre os riscos de doenças sexualmente transmissíveis, gravidez prematura e mostrar que, assim como outras decisões na vida, o sexo tem que ser visto como mais uma responsabilidade, relata.

Uma pesquisa recente, realizada pela UNESCO mostra que os adolescentes brasileiros têm começado mais cedo a fazer sexo: 14% dos jovens entre 11 e 14 anos apresentam vida sexual ativa . Com esse inicio precoce, eles se vêm diante de assumir certas responsabilidades, que na maioria das vezes não condizem com um amadurecimento emocional, e é nessa hora que a família pode ajudar na orientação. Meu filho perdeu a virgindade com 14 anos e logo me contou. Percebi como era importante participar e apoiar essa nova fase na vida dele, afirma Cláudia Moreira, de 42 anos, mãe de dois filhos adolescentes.

Para os mais liberais o principal fator para autorizar a transa dos filhos dentro de casa é a violência presente nas ruas. De acordo com a Secretaria de Segurança Publica de São Paulo, no último bimestre de 2007 foram registradas 275 queixas de estupro só na capital do estado.  Eu prefiro saber onde ele está e com quem anda do que ficar preocupada e pensando se alguma coisa ruim pode acontecer afirma Cláudia.

Mesmo que os pais optem por dar essa liberdade aos filhos, é importante que sejam impostos certos limites . Os pais podem ceder a essa vontade dos filhos, mas os filhos também devem acatar certas exigências. Como por exemplo, usar o quarto somente na ausência dos pais ou durante a noite. As regras devem ser estabelecidas de acordo com um diálogo em que todos possam dar opiniões e só assim chegar a um consenso.

Não há como ficar refém da violência, muito menos omitir a realidade dos filhos. Os pais não são obrigados a permitir que os filhos façam sexo dentro de casa só para parecerem modernos, mas é fundamental que seja estabelecido um diálogo diante da exposição de idéias de ambos os lados. Os valores, inclusive com relação a sexo, são passados para os filhos no dia-a-dia e isso vai ser determinante para se estabelecer um consenso na relação entre eles conclui Denise. E para os pais cheios de zelo é interessante entender que essa proximidade pode facilitar inclusive o controle sobre a vida dos filhos.

Os pais devem abrir as portas para que os filhos façam sexo dentro de casa?
Sim, desde que sejam impostos certos limites

Não, na minha casa de jeito nenhum



A consulta é realizada somente entre internautas e não tem valor de amostragem científica

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.