Especialistas ensinam como reconhecer se seu filho está pronto para viver a experiência de um acampamento educativo

Acampamentos educativos: saiba quando é a hora de mandar o seu filho
Getty Images
Acampamentos educativos: saiba quando é a hora de mandar o seu filho
Em véspera de dia de acampamento, é mais difícil saber quem tem mais insônia: as crianças ou suas mães. Enquanto os pequenos contam as horas pela ansiedade da aventura, as mães têm de lidar com a insegurança causada pelas dúvidas. Será que meu filho vai ficar bem? Será que vai conseguir ficar longe de casa?

Um bom começo é 'testar' como a criança reage ao dormir fora, na casa de um parente ou coleguinha. "Mais do que a idade da criança, o importante é ter experimentado a situação de dormir longe dos pais", diz Cássia Franco, psicóloga especializada em terapia de casal e família. Se a noite do pijama no vizinho transcorreu sem maiores problemas, seu filho está um passo mais perto do acampamento.

Confiar no acampamento e conhecer bem as instalações, a proposta e a equipe do local são cuidados essenciais. As atividades são planejadas e dirigidas a faixas etárias específicas, por isso escolha bem para o seu filho. Depois dos 10 anos de idade, Cássia acredita que a criança já responde com cosnciência às propostas dos pais. "Uma criança de 6 anos topa tudo - e depois não aguenta o tranco", alerta ela. Por isso, cuidado ao combinar a viagem com seu filho.

Acha que seu filho não vai aguentar passar alguns dias longe de casa, em meio a uma multidão de coleguinhas em potencial, mas nenhum rosto conhecido? Nesse caso, vale combinar a viagem com um amigo da classe, um primo ou um colega do bairro. No entanto, se as crianças vão sozinhas, mais rapidamente elas aprendem a se socializar.

Vantagens

Autoconfiança, socialização e independência são as principais vantagens que a experiência de acampar oferece para uma criança. É aoconviver com outros e ao seguir novas regras, que não são feitas nem pela mãe, nem pelo pai, que ela pode entrar em contato com outras alternativas - e crescer. "Muitas mães se maravilham com seus filhos quando eles voltam e passam a arrumar a cama, tirar o prato...", conta Cássia, que recomenda que a mãe reforce estas atitudes e continue estimulando o filho a ser colaborativo. "É uma experiência de socialização muito rica".

Por outro lado, o acampamento pode ser um completo desastre se você pretende apenas afastar a criança em um momento difícil para a família - como a morte de um parente ou uma crise entre os pais. "O acampamento não pode ser solução. Se a criança ou a família estao passando por uma dificuldade, é melhor nao ir", recomneda Janete Pinheiro Spinardi, vice-presidente da Associação Brasileira de Acampamentos Educativos , a ABAE - que oferece, em seu site , um manual que explica como deve ser um acampamento educativo.

Desafio para as mães

Enquanto as crianças se esforçam nos desafios de socialização e autodescoberta, algumas mães ficam em casa lutando com a insegurança em relação aos filhos. "Eu deixei uma malinha pronta no carro, para ir buscá-la na mesma hora que ela telefonasse", relembra a professora Lilia Almeida, mãe de uma menina de 9 que foi acampar pela primeira vez ano passado.

Conhecedora da filha, que é tímida e não dorme fora de casa jamais, Lília deixou que ela fosse para um acampamento "com o coração na mão", em suas próprias palavras. Este ano, a filha de Lilia quer voltar - e a professora acredita que o acampamento seja uma vitória não só para as crianças, que superam seus medos, mas para as mães, que passam a confiar nos filhos. "Tem que acreditar na capacidade deles", diz.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.