Dóceis e serenos, eles são uma boa opção para conviver com a garotada e alegrar a família

Ele é um animal de estimação pequeno e fofinho e, para a Páscoa, é uma boa ideia para quem quer sair um pouco da tradição do chocolate na hora dos presentes. Também conhecido como coelho anão, o mini coelho possui, aproximadamente, dois quilos distribuídos em 30 centímetros de comprimento. E variam daqueles de orelhas caídas, como os “Fuzzy Lops”, aos de pelagem longa em volta da cabeça, os “Lion Heads”.

Segundo Tatiana Vonzodas, proprietária da Cia dos Coelhos , em São Paulo, o mini coelho costuma ser um intermediário entre cão e gato, carinhoso e tranquilo. No entanto, é preciso saber as medidas para não atormentar o bichinho. De acordo com o veterinário André Grespan, da Clínica Wildvet, em São Paulo, é preciso ganhar a confiança dele antes de pegá-lo no colo, por exemplo. “Eles se dão bem com as pessoas, mas são como os gatos, um pouco mais reservados”, afirma o especialista.

Vonzodas afirma que, por conviver com muitos coelhos, é possível reparar nos diferentes temperamentos de cada um: “Tem coelho que brinca com bolinha e tem coelho que não está nem aí”, conta. Por outro lado, ela conta o que eles possuem em comum: “eles respondem pelo nome, são capazes de aprender pequenos comandos e estão acostumados a fazer as necessidades em lugares específicos, como dentro da gaiola”.

Cuidados especiais

Para que o mini coelho esteja saudável e bem, no entanto, alguns cuidados específicos são necessários. Manter a higiene em dia é o principal dever. Grespan indica aos donos para que limpem a gaiola com um paninho com álcool ou vinagre diariamente e passem desinfetante uma vez por semana. De acordo com Giulliana Pittia, proprietária da Coisa Fofa - Mini Coelhos e Porquinhos da Índia, em Limeira, interior de São Paulo, eles não gostam de sujeira e cuidar da limpeza evita doenças.

Grespan também explica que os coelhos podem ter um problema muito grave com bolas de pelo. “O dono precisa escová-lo diariamente, principalmente em época de queda, para evitar que ele engula pelos em excesso - ele, diferentemente do gato, não consegue vomitar. “É um problema grave e, na maioria dos casos, a solução é uma cirurgia com altos riscos”, explica.

Outro quesito importante de ser ressaltado é a alimentação. Além da ração, ela deve ser mantida com verduras, legumes e frutas. “É errado manter só com ração, porque ele pode desenvolver problemas intestinais por falta de fibra e problemas dentários por mastigar menos do que deveria”, afirma Grespan.

Segundo ele, os dentes dos mini coelhos nunca param de crescer e, quando ele come somente ração, ele não mastiga o tanto necessário. Tiago Castanho, proprietário da Vila dos Coelhos , em Curitiba, no Paraná, indica a pedra de cálcio para desgastar o dente, que pode ser comprada em lojas de animais.

Solto ou preso?

Embora eles também sejam ideais para quem vive em apartamento, independentemente da idade, os mini coelhos costumam gostar de roer fios e cabos, como os de telefone e televisão. “A não ser que haja segurança, ele precisa de supervisão”, conta Grespan. Além disso, Vonzodas afirma que ele costuma marcar território, então, até os quatro meses, não é uma boa ideia deixá-lo sempre solto. “Ele pode ficar malcriado e pensa que é o dono da casa”, conta.

Além disso, é indicado que o começo da convivência com as crianças também seja supervisionado. Como eles não gostam muito de afobação e movimentos bruscos, a criança precisar ter um pouco calma para se dar bem com ele. De acordo com Vonzodas, a partir dos sete anos, a criança já sabe lidar melhor com o bicho. 

Os mini coelhos costumam viver de seis a dez anos e são divididos em cinco raças mais comuns: o Fuzzy Lop, o Mini Lop, o Lion Head, o Hotot e o Hermelin. Grespan indica a castração dos bichos para evitar que os machos comecem a marcar território pela casa e as fêmeas pela possibilidade de terem um tumor no útero. De acordo com o veterinário, os mini coelhos podem apresentar problemas como qualquer outro bichinho, como fungo, sarna, doenças oculares e até toxoplasmose. “Ao adquirir um mini coelho, o ideal é consultar um veterinário especializado para mais informações”, diz. Os preços do mini coelho variam de R$ 80 a R$ 150.  

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.