Segundo pesquisa, 75% delas acham que "dar uns tapas de vez em quando é necessário". 59% dos homens tiveram a mesma opinião

Mais mulheres do que homens acreditam no valor da "palmada pedagógica": 75% delas acham que dar uns tapas no filho de vez em quando é necessário para educá-lo, enquanto 59% dos homens pensam assim. É o que apontam os dados de pesquisa divulgada hoje pela Fundação Perseu Abramo.

Segundo a pesquisa, a maioria dos pais que apanharam na infância - prática comum em gerações anteriores - não reproduz, com seus filhos, o método violento. 17% das mulheres e 38% dos homens que levavam surras com frequência acreditam que "bater em criança é errado em qualquer situação".

A ideia de que "dar uns tapas de vez em quando é necessário" cresce entre as mães de mais escolaridade. Entre as entrevistadas que cursaram apenas até a 4a série, 71% escolheram esta resposta. Entre as mães com escolaridade de 5a a 8a, ensino médio completo e ensino superior, o número vai a 77%.

As mulheres seguem como linha de frente da educação das crianças. Só 15% das mulheres dizem jamais ter dado um tapa em um filho. Entre os homens, o índice dos que nunca fizeram uso da palmada cresce para 42%. Apenas 1% das mulheres admite dar surras com frequência. Nenhum homem disse fazê-lo.

A pesquisa ouviu 2.365 mulheres e 1.181 homens com mais de 15 anos em todo o País.

Você já bateu no seu filho?

Respostas estimuladas e únicas, entre as mulheres

Gerando gráfico...
Fundação Perseu Abramo
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.