As vidas de centenas de milhares de bebês podem ser salvas anualmente se mulheres grávidas fizerem exames de sífilis, diz pesquisa


Sífilis: exames poderiam diminuir pela metade número de morte de bebês
Getty Images
Sífilis: exames poderiam diminuir pela metade número de morte de bebês
Pesquisadores da University College London, na Grã-Bretanha, analisaram 10 estudos prévios, que envolveram um total de 41 mil mulheres, e divulgaram suas conclusões na publicação científica Lancet Infectious Diseases.

A sífilis causa a morte de meio milhão de bebês todo ano, número que inclui natimortos e bebês que morreram pouco após o nascimento, a maioria na África subsaariana.

Os pesquisadores dizem que exames e consequentes tratamentos a base de antibióticos seriam uma forma barata e efetiva de diminuir pela metade o número de mortes.

O estudo sugere que a realização de exames acompanhados de tratamento resultou na redução de 58% dos casos de natimortos e em uma redução similar nos casos de mortes nas primeiras semanas de vida. Casos de sífilis congenital também foram reduzidos.

Leia também:

- Saúde bucal da criança: o que você precisa saber
- Mãe relata batalha ao lado dos filhos, que têm com fibrose cística

Custo
A sífilis é uma doença sexualmente transmissível que resulta em ferimentos e coceiras e evolui para danos mais sérios ao coração, cérebro e olhos, podendo causar a morte.

Ela pode ser passada de mãe para filho pela placenta, doença conhecida como sífilis congenital.

Calcula-se que menos de uma em cada oito mulheres faz o teste de sífilis durante a gravidez e mais de dois milhões de mulheres com a doença ficam grávidas anualmente.

Em mais de dois terços dos casos, ocorrem sérias complicações.

Outro estudo complementar publicado no Lancet calcula que o custo para a realização de testes para a sífilis é de US$ 1.44 (equivalente a cerca de R$ 2,3).

Os pesquisadores dizem ainda que se todas as mulheres grávidas que testarem positivo receberem uma única dose do antibiótico benzatina antes da 28ª semana de gravidez, não haveria mais mortes de bebês recém-nascidos causa da sífilis.

Mais notícias de Filhos:
- De moedas a broches: como evitar que as crianças engulam objetos?
- Amamentação influencia saúde das crianças a longo prazo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.