Veja como fazer essa transição sem traumas e da forma mais segura para o seu filho

Mudança geralmente ocorre aos três anos de idade, quando a criança excede altura e peso recomendados para o berço
Thinkstock Photos
Mudança geralmente ocorre aos três anos de idade, quando a criança excede altura e peso recomendados para o berço

Pode ser difícil aceitar este fato, mas sim: o seu bebê está crescendo. Quando eles começam a se desenvolver e o berço já começa a não comportar o tamanho do pequeno é a hora de fazer a transição para a cama. Se seu filho está nessa fase, saiba que é possível passar esta etapa de uma forma tranquila e sem traumas, tanto para os filhos quanto para os pais.

Em geral, o momento da mudança ocorre aos três anos de idade, mas não é regra. O que vai sinalizar os pais desta necessidade é a garantia da segurança do pequeno. “Os berços possuem indicação de peso ou altura máximo. Isso é o que vai determinar a hora da transição”, comenta Alessandra Françoia, Coordenadora Nacional da Criança Segura.

Como trocar o berço pela cama sem traumas

Em geral, a criança não costuma estranhar a mudança. Mas se você perceber certo desconforto, Andrea Bellingall, psicóloga e diretora do Núcleo de Educação Infantil Passo a Passo (RJ) dá uma dica simples que pode solucionar o problema. “Os pais podem aproveitar os enfeites do berço e manter a mesma estrutura de sono, para que a criança se sinta confiante em seu novo ambiente”.

Outra dica é fazer o pequeno participar das decisões para esta mudança. Compre lençóis e fronhas com temas infantis com a ajuda do pequeno, por exemplo. Deixe ele escolher seus personagens infantis preferidos: assim a novidade será mais interessante, podendo cessar qualquer dificuldade de adaptação. Para evitar quedas, não esqueça do protetor lateral da cama.

No entanto, é possível também que o seu filho demore certo tempo para se acostumar com a cama. Nesse caso, vale fazer a transição aos poucos, até que a mudança seja mais bem assimilada. Agora atenção: nunca mude a criança do berço para a cama no meio da noite, isso porque ela pode ter um susto ao acordar. Além disso, essa atitude gerará um sentimento de desconfiança do filho em relação aos pais.

Conversa é fundamental

Mesmo que a criança seja muito nova, é essencial conversar sobre a mudança, para que não ocasione traumas e estranhamentos. Mostre ao seu filho que ele está crescendo e que já tem capacidade de dormir sozinho na cama, como explica Renata Yamasaki, psicopedagoga.

Segundo ela, toda mudança pode causar problemas se não for bem trabalhada e conversada. “Caso isso ocorra e a família não esteja dando conta desta situação, vale procurar ajuda de profissionais capacitados que orientem quais caminhos podem ser percorridos pelos pais”, sugere.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.