Na batalha dos hábitos, a chupeta é o “menos mau”

“Entre o dedo e a chupeta, é a chupeta um milhão de vezes. Não tem nem o que discutir.” A afirmação do pediatra Evandro Roberto Baldacci mostra a necessidade de os pais enfrentarem essa guerra. “Precisa repetir muitas vezes para conseguir fazer essa troca, mas o recomendado é fazer isso”, diz.

Unanimidade entre os profissionais, a substituição do dedo pela chupeta é tão importante quanto difícil. É necessário insistir muito com as crianças, porque, em geral, elas preferem o dedo. Além de ser muito mais difícil de disciplinar e de eliminar o hábito, o dedo não tem o formato anatômico e age com muito mais força, fazendo pressão e causando maior deformidade.

Segundo a odontopediatra Daniela Prócida Raggio, os pais devem fazer um esforço para substituir o dedo pela chupeta quando o bebê ainda é bem pequeno: tirar o dedo da boca, colocar a mão para baixo e botar a chupeta. “É um trabalho cansativo, precisa ficar do lado da criança”, afirma. Mas, segundo os especialistas, vale a pena.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.