Confira os prós e contras de deixar seu filho com avós ou outro parente e saiba que pontos considerar na hora da escolha

Charles Naseh e a mulher deixam Yasmin, de um ano, com a avó:
Arquivo pessoal
Charles Naseh e a mulher deixam Yasmin, de um ano, com a avó: "não há tranquilidade maior".
Vantagens

Confiança. Quando a criança vai ficar sob os cuidados de um parente, os pais ficam relaxados por saber que o bebê está com alguém que vai tratá-lo bem. “Quando a avó tem a empolgação necessária para cuidar da criança, não há tranquilidade maior”, diz o fotógrafo Charles Naseh, que deixa sua filha mais nova, Yasmin, de um ano e meio, todos os dias com a avó.

Horário flexível. Para profissionais que não têm uma rotina de horário, deixar com a avó pode ser uma mão na roda, já que não é preciso contar com limitações de horário, diariamente. Se algum imprevisto acontecer, a criança pode até dormir fora.

Carinho. Os parentes e especialmente os avós têm fortes laços afetivos com o bebê, o que é garantia de que ele será tratado com amor. Adela afirma que, no caso dos bebês bem novinhos, a avó é a melhor opção. “A avó tem um laço amoroso com a criança e está em contato com ela desde que nasceu, então a transição da mãe para a avó é mais fácil”.

Baixo ou nenhum custo. Ainda que seja possível que os pais negociem uma ajuda de custo para que avó cuide do neto, essa opção sem dúvida é a mais em conta das três.

Desvantagens

Estímulos limitados.
Ainda que a avó seja muito dedicada, quando a criança começa a andar é difícil acompanhar o pique. Muitas vezes recursos como TV passam a ser utilizados para a criança “dar uma folguinha”. Se a criança não tem irmãos ou primos que dividem a guarda da avó nesse período, o convívio com outras crianças também fica limitado. Por isso, Charles já está buscando uma escolinha para Yasmin. “Ela já tem vontades próprias e adora encontrar outras crianças. Achamos que seria legal ela ficar com bebês da idade dela, pelo menos para ver como ela reagiria”, diz ele.

Mimo e falta de disciplina. Muito se fala que o papel dos avós é “estragar” os netos – e isso não chega a ser um problema quando acontece ocasionalmente. Ainda que muitos deles possam ser aliados na hora de educar os netos, se a avó ou avô não concordam com alguma limitação ou norma estipulada pelos pais, é bem provável que elas não sejam seguidas no dia a dia da criança, o que certamente vai atrapalhar sua educação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.