Livro marca reencontro da fotógrafa de bebês mais famosa do mundo com personagem de uma das fotos que a tornou célebre

Você pode até não reconhecê-la pelo nome, mas dificilmente nunca viu uma imagem da fotógrafa Anne Geddes. Ela ficou famosa por suas fotos de bebês recém-nascidos, retratados junto a elementos naturais ou em cenários poéticos e inusitados. Prestes a comemorar 30 anos de carreira, Anne lança “Beginnings” (Editora Alles Trade), primeiro livro fotografado inteiramente em seu país natal. Inspirado em ninhos e outros elementos que simbolizam o início, como sementes, grávidas, bebês, o trabalho guarda uma das fotos mais emocionantes da carreira de Anne, segundo ela própria: o retrato da jovem Maneesha.

Leia também
Como tirar boas fotos do seu filho
Memórias da infância são gravadas em novas mídias

Maneesha recém-nascida, em reprodução de foto de Anne Geddes...
Reprodução
Maneesha recém-nascida, em reprodução de foto de Anne Geddes...
... e em
Reprodução/Anne Geddes
... e em "Beginnings", 16 anos depois, segurando Gabriella, um bebê prematuro
Clicada 16 anos atrás, após nascer prematuramente, Maneesha se tornou uma das fotos mais reconhecidas de Anne. Ela voltou a posar em “Beginnings”, agora segurando um bebê – como ela, prematuro. “A imagem de Maneesha representa tanto a fragilidade e a força da vida quanto os milagres que acontecem todos os dias”, disse Anne em entrevista. Leia abaixo.

iG: "Beginnings" marca quase 30 anos de sua carreira. Qual foi o maior desafio do projeto?
Anne Geddes:
A perspectiva de fotografar este projeto no espaço de um ano foi o mais desafiador, uma tarefa assustadora mesmo. Eu queria de fato seguir as quatro estações, fotografando belos elementos naturais ao longo do caminho, então foi um período incrivelmente intenso – mas me deixou muito realizada também.

iG: E o maior prazer?
Anne Geddes:
Ter a oportunidade de fazer o que eu amo todos os dias e me esforçar para fazer a diferença com meu trabalho. Este projeto representou um caminho criativo completamente novo para mim. Existe uma satisfação incrível, às vezes, em mergulhar no desconhecido.

iG: Depois de quase 30 anos, não é difícil retratar o mesmo assunto sem se repetir? Como você consegue fazê-lo?
Anne Geddes:
Para mim, a criatividade é um processo em constante evolução. Apesar dos temas que fotografo terem uma linha em comum, nenhuma imagem desperta o mesmo sentimento. Cada projeto assume uma qualidade única e isto se reflete no meu trabalho. Naturalmente, como qualquer artista, meu estilo continua a evoluir ao longo de minha carreira. Eu consegui mudar de “marcha”, por assim dizer, com bastante frequência ao longo dos anos, deixando minha criatividade me levar para onde quiser. Considero “Beginnings”, por exemplo, diferente de tudo que fiz antes. Mesmo agora, meu trabalho continua a avançar em territórios inexplorados. Atualmente estou trabalhando em uma publicação apenas com mulheres grávidas, e elementos da natureza que me inspiram a cada dia.

Capa de
Reprodução
Capa de "Beginnings", livro mais recente da fotógrafa Anne Geddes
iG: Quando pequena, quais eram seus hobbies? O que você gostava de fazer?
Anne Geddes:
Bom, eu cresci em uma fazenda de gado no extremo norte de Queensland, na Austrália... Então passei um bocado de tempo ao ar livre, brincando e aprontando muito. Eu tinha bonecas, como todas as meninas, mas nunca me dei conta de que queria ser um fotógrafa de bebês até pegar uma câmera, lá pelos meus 20 anos de idade.

iG: Deve ser difícil para você escolher, mas eu tenho que perguntar: qual é sua foto favorita em “Beginnings”?
Anne Geddes:
Uma das minhas imagens favoritas é a de Maneesha, hoje com 16 anos, segurando Gabriella, nascida prematuramente. Esta imagem significa muito para mim, pois está ligada a um dos meus trabalhos anteriores mais marcantes: as fotos de Maneesha e Jack. Maneesha também foi um bebê prematuro do mesmo tamanho de Gabriella, e vê-la como uma bela jovem segurando Gabriella é uma grande inspiração para mim. Representa tanto a fragilidade e a força da vida quanto os milagres que acontecem todos os dias.

iG: Você tem algum conselho para as mães que, inspiradas por seu trabalho, queiram fotografar seus bebês?
Anne Geddes:
Ter paciência. E uma câmera sempre à mão! Muitas vezes, a beleza aparece nos momentos mais inesperados...





Leia também
Especial: saiba tudo que a grávida pode ou não fazer durante a gestação
Relógio biológico da gestação: as chances de engravidar em cada fase da vida

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.