Britânica já era profissional no pole dance e manteve as atividades durante a gestação, mas reconhece que esse período exige cuidados especiais

Falar sobre exercícios na gravidez é algo que costuma gerar dúvidas. Por mais que pesquisas reafirmem que as atividades físicas fazem bem para mamãe e para o bebê - como um estudo recente da Camilo José Cela University, de Madri, na Espanha, que fala que prática de exercícios moderados pela futura mamãe traz benefícios como ganho controlado de peso, diminuição do risco de pré-eclampsia, diabetes gestacional, dores na lombar e incontinência urinária e até influencia no peso da criança - ver uma grávida se exercitando ainda causa estranhamento em algumas pessoas, ainda mais na reta final da gestação .

Leia também: Entenda como acontece, os sintomas e características da gravidez

Charlotte Robertson está grávida e ainda pratica pole dance
Reprodução/Instagram/@charlottepolefit
Charlotte Robertson está grávida e ainda pratica pole dance


Se a grávida fizer pole dance e acrobacias, como parada de mão, no sétimo mês de gestação, o espanto pode ser maior ainda. É isso que tem vivido a britânica Charlotte Robertson, de 29 anos, que espera seu primeiro filho. Ela é professora de pole dance, já participou de diversas competições e não deixou de praticar o esporte que mais gosta na gravidez.  

Segundo reportagem do portal "The Sun", ela se preocupa com seu bem-estar e também com a saúde do bebê e sabe que precisa de algumas restrições nos movimentos. "Quando descobri que estava grávida, meu primeiro pensamento foi proteger meu bebê. Sabia que queria continuar com o pole dance, mas também sabia que precisaria fazer adaptações", comenta a futura mamãe, que já é adepta do pole dance há seis anos. 

Leia também: Kate Middleton sofre de hiperêmese gravídica; sabe o que é isso?

Charlotte exibe equilíbrio na parada de mão no 7º mês de gestação
Reprodução/Instagram/@charlottepolefit
Charlotte exibe equilíbrio na parada de mão no 7º mês de gestação


Adaptações na rotina

Ela diz que manteve o ritmo normal até a 12ª semana da gestação. Então, em um exame de rotina, descobriu que o filho poderia ter Síndrome de Down. Charlotte conta que fez repouso até ter o resultado de todos os exames e, poucas semanas depois, soube que estava tudo certo com o bebê e voltou aos exercícios. "Meu médico disse que como eu fazia pole dance antes, poderia continuar agora". 

Entretanto, com o avançar da gravidez, foi preciso mudar alguns exercícios e séries para que fosse possível continuar a prática mesmo com o barrigão. Ela chamou atenção ao se apresentar em um festival de pole dance com 27 semanas de gestação. "Sempre escuto meu corpo e não faça nada que me deixe desconfortável", diz Charlotte. "Ainda consigo fazer diversas acrobacias, mas hoje com uma intensidade menor". 


Vale ressaltar que cada caso é um caso e que cada mulher necessita de cuidados específicos na gravidez. Em linhas gerais, para a mulher que já era ativa antes de engravidar, os exercícios são bem-vindos. Mas só o médico pode liberar a prática de qualquer atividade e dar as melhores orientações às gestantes. 

Leia também: Mãe que usou sexo para induzir o parto conta como foi a experiência

Força mental 

A grávida segue as recomendações médicas e também respeita seus limites. Ela ainda diz que se manter ativa faz bem para a mente. "Isso me ajuda a manter meus níveis de energia e já li que vai me ajudar no trabalho de parto. Em algumas semanas eu falo se isso é verdade ou não", brinca a britânica. 

    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.