Estudo americano mostra que interação com aparelhos é precoce e indiscriminada; tempo de exposição aos gadgets tende a aumentar com o passar dos anos

Estudo reafirma os dispositivos móveis como uma das principais ferramentas de entretenimento das crianças em casa
Getty Images
Estudo reafirma os dispositivos móveis como uma das principais ferramentas de entretenimento das crianças em casa

Dizer que os pequenos já nascem sabendo usar celulares, smartphones e outros dispositivos móveis pode soar um tanto quanto exagerado, mas é exatamente o reflexo atual do desenvolvimento infantil. De acordo com um estudo americano, mais de um terço dos bebês já sabe “explorar” as possibilidades desses aparelhos eletrônicos antes mesmo de aprender a andar ou a falar.

Já por volta do primeiro ano de vida, o tempo de uso dos aparelhos pelas crianças chega a uma hora por dia, aproximadamente. Esse comportamento é desencorajado pela Academia Americana de Pediatria, que defende que a exposição a mídias como televisão, computador, smartphone e tablets deve se dar mais tarde, no fim da primeira infância.

Para investigar o uso, os pesquisadores elaboraram um questionário específico para os pais de crianças de seis meses até quatro anos, com 20 perguntas sobre hábitos tecnológicos de cada família. O objetivo era descobrir quando foi a primeira exposição aos aparelhos, qual a frequência e o modo de utilização de cada item e se o pediatra da criança estava ciente da situação.

Uso indiscriminado

Os resultados mostraram que mais de 95% das famílias possuem pelo menos um televisor em casa, enquanto 83% possuem tablets e 77% têm um smartphone. O acesso à internet também é um fator de destaque, já que 59% afirmaram ter conexão à rede em casa.

>> MAIS: 10 fotos que os pais não devem compartilhar nas redes sociais

Leia ainda: Smartphone é a nova chupeta?

Outro detalhe que chamou a atenção dos pesquisadores foi a idade das crianças, que com menos de um ano já estão expostas a alguma dessas mídias. De acordo com as respostas, 52% já assistiram a algum programa na televisão, 36% já tocaram ou “rolaram” a tela de um smartphone, 24% já fizeram uma ligação para alguém, 15% usaram algum aplicativo e 12% jogaram videogame.

A partir dos dois anos, a maioria das crianças já têm uma relação mais íntima e frequente com os dispositivos móveis. “Nós não esperávamos que crianças a partir dos seis meses de vida já estivessem utilizando esses aparelhos. Algumas ficam em contato com a tela dos dispositivos por até 30 minutos”, revela Hilda Kabali, autora do estudo, que foi financiado pela Einstein Healthcare Network e divulgado na reunião anual da Pediatric Academic Societies, em San Diego, na Califórnia.

O estudo reafirmou os dispositivos móveis como uma das principais ferramentas de entretenimento das crianças em casa. Cerca de 73% dos pais permitem que os filhos utilizem os aparelhos durante as tarefas de casa.

Os itens eletrônicos também têm um efeito calmante nos pequenos: 65% dos pais afirmaram que usam celulares e tablets para “distrair” a criança, enquanto 29% fazem proveito da tecnologia para adormecer os filhos com mais facilidade. Apenas 30% afirmaram que o pediatra das crianças tem conhecimento desse hábito em casa.

Continue lendo:
Teste: qual a relação do seu filho com a tecnologia?
Uso excessivo de tecnologia prejudica habilidades sociais das crianças
Tradicional x eletrônico: um tipo de brinquedo é melhor do que o outro?

>>> Curta a página do Delas no Facebook e siga o @Delas noTwitter <<<

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.