A fala é um dos marcos da infância mais esperados pelos pais; veja como agir para estimular o desenvolvimento da habilidade

Os primeiros sons são irreconhecíveis. Depois, é possível identificar um “pa” e “ma” aqui e adiante. A partir daí, começam os balbucios e, se tudo evoluir bem, palavras serão formadas e frases articuladas.

“A aquisição da fala está intrinsecamente ligada à audição. Os bebês aprendem a falar ouvindo os adultos e os sons”, explica Blenda de Oliveira, psicóloga e psicoterapeuta de crianças, adolescentes e adultos.

O período de aprendizagem da fala é crucial. Os adultos, sejam pais ou cuidadores, precisam ficar atentos para não apenas ajudar, mas não atrapalhar o desenvolvimento dessa habilidade.  

>> Veja 10 dicas para estimular seu filho a falar:


“Quando a criança está começando a falar, alguns pais ansiosos costumam repetir algumas palavras erroneamente ou no diminutivo. Isso pode prejudicar a aprendizagem”, explica a professora do curso de Pedagogia do Centro Universitário Módulo, Cleide Tavares de Oliveira Araripe.

Cleide ressalta alguns hábitos que devem ser incorporados como “não repetir a pronúncia errada da palavra, enfatizando sempre a correta, e estimular a criança a pedir o que ela quer”. Isso significa não atender o filho toda vez que ele aponta para um objeto. Nesse caso, o pai pode pegar o objeto e reforçar o nome daquilo, apontando e repetindo.

Idade correta

Não existe uma idade definida para o início da fala. O que se deve fazer é prestar atenção no desenvolvimento da criança por volta dos dois anos de idade. Nessa época, alguns avanços são esperados.

Veja também: Os marcos do desenvolvimento infantil

“Há crianças que começam a falar as primeiras palavras aos nove meses. Muitas farão isso a partir de um ano. Por volta dos dois anos, começam a formar frases com duas ou três palavras”, explica Blenda.

“Os pais devem se preocupar quando há dificuldade na aquisição da fala acompanhada por outros comportamentos, como dificuldade de se manter vinculado ou de brincar. A demora para falar nem sempre sugere problemas, apenas tem uma relação com o ritmo de desenvolvimento de cada criança ou a pouca estimulação do ambiente”, orienta Blenda.

Se os pais observarem uma demora exagerada para o início do processo de aprendizagem da fala combinada com outros fatores, é preciso procurar um médico, que vai determinar os próximos passos.

“O melhor caminho é falar com o pediatra da criança para que ele determine o encaminhamento a um profissional de fonoaudiologia. É importante também verificar se a avaliação auditiva está em ordem”, conta a fonoaudióloga do Complexo Hospitalar de Niterói, Flávia de Melo Teixeira.

Agradecimentos: Cleide Tavares de Oliveira Araripe, professora do curso de Pedagogia do Centro Universitário Módulo; Blenda de Oliveira, psicóloga, psicanalista e psicoterapeuta de crianças, adolescentes, adultos, famílias e casais; Flávia de Melo Teixeira , fonoaudióloga do Complexo Hospitalar de Niterói.

Leia também:
9 erros dos pais no desenvolvimento da fala das crianças
Guia do bebê: os desafios de cada fase, dos 0 aos 12 meses

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.