Pesquisa mostra que 51% dos pais determinam o que os filhos ganharão no fim do ano, mas a maior parte deles promete dar novo presente se a criança não gostar do brinquedo escolhido

Elas passam o ano esperando pela data. O Natal, para a maioria das crianças, é sinônimo de presente. E os pais se desdobram para agradar aos filhos. Mas quem pensa que as crianças invariavelmente escolhem seus presentes está engando.

Presente de Natal: 35% dos pais afirmam que a decisão é feita em conjunto entre os filhos e eles e 14% dizem que a criança decide sozinha o que irá ganhar na data
Thinkstock/Getty Images
Presente de Natal: 35% dos pais afirmam que a decisão é feita em conjunto entre os filhos e eles e 14% dizem que a criança decide sozinha o que irá ganhar na data

De acordo com uma pesquisa encomendada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal de educação financeira 'Meu Bolso Feliz', 51% dos pais entrevistados afirmam que foram eles que determinaram qual seria o presente das crianças no fim do ano.

Entretanto, a influência dos filhos é considerável. Segundo o estudo, 49% as crianças participam de alguma forma da escolha do presente: 35% dos pais afirmam que a decisão é feita em conjunto entre os filhos e eles e 14% dizem que a criança decide sozinha o presente que irá ganhar na data.

A pesquisa mostra ainda que os pais não querem errar. Em mais da metade dos casos (51%), eles afirmam que se o presente não agradar, a frustração deverá ser compensada com a substituição do item pelo presente desejado em outra ocasião. Além disso, 30% dos pais relataram que os filhos ficam tristes e frustrados, porém logo se esquecem do pedido ou não pedem outro presente. Outros 3% admitem que em situações assim seus filhos geralmente choram e fazem birra por não receber o presente desejado.

Lei ainda:
Aprenda a fazer uma árvore de Natal de parede
50 ideias de ensaios fotográficos natalinos com crianças

>>> Curta a página do Delas no Facebook e siga o @Delas noTwitter <<<

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.