Disponibilidade física e emocional da mãe, livre demanda e pega correta do bebê influenciam na boa amamentação

Boa alimentação da mãe é fundamental, pois tudo que ela come e bebe é levado ao organismo do filho por meio do leite
Thinkstock/Getty Images
Boa alimentação da mãe é fundamental, pois tudo que ela come e bebe é levado ao organismo do filho por meio do leite

O principal para alimentar bem o filho com o leite do peito, de acordo com a psicóloga e especialista em amamentação Bianca Balassiano Najm , é ter disponibilidade física e emocional. “Física porque, principalmente nos seis primeiros meses de vida do bebê, a amamentação deve ser feita em livre demanda, ou seja, sempre que ele demonstrar estar com fome, sem horário marcado. E emocional porque o estresse pode inibir a produção de leite. É importante a mãe estar sossegada”, explica.

>> Veja outras dúvidas das mulheres quando viram mães

A boa alimentação da mãe é fundamental nesse processo, pois tudo que ela come e bebe é levado ao organismo do filho por meio do leite. “A recomendação é que ela coma da maneira que deveria comer sempre: refeições com todos os grupos alimentares, ricas em frutas, verduras e legumes, e sem intervalos muito longos entre uma e outra”, diz Bianca.

Merece atenção, ainda, a pega correta do bebê nos seios da mãe: ele deve fazê-la com a boca bem aberta, abocanhando mamilos e auréolas. “A pega é fundamental para evitar as rachaduras nos seios, que são causadas pelo posicionamento errado e levam ao desmame precoce”, alerta a especialista, que recomenda que mulheres com dificuldade nesse quesito procurem ajuda particular (com consultoras de amamentação, geralmente enfermeiras ou psicólogas) ou da saúde pública (em Bancos de Leite).

Leia também:
Os principais obstáculos da amamentação e como superá-los
10 motivos para amamentar seu bebê
Mães interrompem amamentação mais cedo por falta de orientação

>>> Curta a página do Delas no Facebook e siga o @Delas noTwitter <<<

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.