Pesquisa aponta que conversas sobre o tema tende a acontecer cada vez mais cedo por influência da Internet

Recente pesquisa realizada pela fabricante de softwares de segurança para computadores AVG Technologies, mostra que temas adultos, como sexo e violência, estão surgindo cada vez mais cedo no diálogo entre pais e filhos. Em grande parte, por influência da Internet . Entre os temas mais complicados para tratar está pornografia, apontada por 54% dos 5.420 pais ouvidos em nove países, entre eles o Brasil. Em segundo lugar ficou sexo (19%), seguido de religião (6%).

Mais: 97% das crianças brasileiras entre 6 e 9 anos usam internet, diz estudo

Pesquisa da AVG Technologies mostra qual a influência da Internet na precocidade infantil
Reprodução
Pesquisa da AVG Technologies mostra qual a influência da Internet na precocidade infantil

Apesar de 42% dos pais pesquisados afirmarem que não conversaram sobre sexo, drogas e violência com seus pais, 97% planeja discutir os temas com seus filhos quando eles tiverem em torno dos 10 anos de idade. Refletindo um claro encurtamento da infância.

Mais: 70% das crianças e adolescentes entre 9 e 16 anos têm perfil em redes sociais

No total foram ouvidos 5.420 pais e 2,5 mil crianças em nove países, entre eles o Brasil
Reprodução
No total foram ouvidos 5.420 pais e 2,5 mil crianças em nove países, entre eles o Brasil

Até mesmo as crianças parecem entender a atenção com os temas. Segundo os dados coletados, 47% das 2,5 mil crianças pesquisadas acreditam que o acesso a conteúdos impróprios on-line é a maior preocupação de seus pais.

Mesmo porque, a maioria acredita que aos 12 anos seus filhos já sabem mais sobre a Internet do que eles próprios. Daí a importância da vigilância e da criação de regras para o uso da rede.

Leia ainda: Saiba como falar com as crianças sobre pornografia na internet

Entre as regras mais usadas estão a proibição para falar com estranhos ou comprar itens on-line (51% cada item); restrições no tempo de permanência on-line (44%) e o uso apenas sob supervisão (43%).

O estudo foi realizado em maio de 2014 usando a ferramenta Research Now e envolveu pais e crianças entre 5 e 10 anos da Austrália, Brasil, Canadá, República Checa, França, Alemanha, Nova Zelândia, Reino Unido e Estados Unidos.

Veja na galeria abaixo os 10 comportamentos mais irritantes dos pais no Facebook:


Leia também:
Crianças X computadores: benefícios e males da era tecnológica
- Como compartilhar fotos dos seus filhos com segurança

    Leia tudo sobre: facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.