Resolução do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente que considera abusiva a publicidade infantil reacende discussão sobre os limites da propaganda

O Conselho Nacional de Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) aprovou, em abril deste ano, uma resolução em que classifica como “abusiva” a publicidade direcionada ao público infantil. A atitude gerou um embate entre ONGs e o mercado publicitário.

De um lado estão organizações e pais preocupados com o bombardeio de propagandas que estimulariam o consumo exagerado. De outro, profissionais e empresas interessados na continuidade desses anúncios.

Mas afinal, a solução é mesmo proibir qualquer tipo de publicidade dirigida às crianças ou o debate deveria ser em torno de como ensinar os pequenos a consumir de forma consciente?

A advogada Ekaterine Karageorgiadis, representante do Instituto Alana, organização da sociedade civil que defende os direitos da criança e do adolescente, e o assessor da presidência da Abap (Associação Brasileira de Agências de Publicidade) Stalimir Vieira debatem o tema. Assista ao vídeo abaixo e vote na enquete ao fim da página: a publicidade voltada para o público infantil deve ser proibida no Brasil?


Leia também:
Proteja seu filho do consumismo infantil
Como dizer não sem provocar a fúria de seu filho

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.