Especialistas indicam maneiras de deixar o sexo mais prazeroso e agradável para grávidas que não possuem restrições médicas

A gravidez é um período de extremas mudanças para a mulher, tanto corporais como emocionais. Junto com a gestação surgem inúmeras dúvidas, entre elas as que se referem à vida sexual. “Será que devo continuar mantendo relações normalmente?”, “Vai machucar o meu bebê?”, “Pode provocar um aborto?” são algumas questões comuns. “O sexo na gestação é saudável, desde que não haja restrição médica, risco de sangramento ou de parto prematuro”, afirma a ginecologista e obstetra Flávia Fairbanks, especialista em sexualidade humana.

Desta maneira, o pré-natal tem mais uma função importante. Além de acompanhar o desenvolvimento do bebê, o obstetra que acompanha a gestante também poderá avaliar se há contraindicações com relação ao sexo.

>> Confira posições sexuais confortáveis para as grávidas:

De acordo com a médica, mesmo estando liberada para o ato sexual, boa parte das mulheres – e até mesmo muitos parceiros – acredita que a penetração possa prejudicar o crescimento do bebê ou provocar um aborto. Mas isso não acontece, segundo explica a obstetra. “O bebê está protegido pelo colo do útero, pelo tampão vaginal e pela bolsa amniótica”, diz Flávia.

Leia também: 10 respostas sobre sexo na gravidez

Já no final da gestação, outra preocupação comum é que a prática do sexo possa adiantar o parto. A desconfiança tem fundamento. É que o sêmen muda o PH vaginal e, junto com o orgasmo, pode estimular o início das contrações uterinas. “Em tese, isso pode acontecer, sim. O esperma tem prostaglandina, um dos desencadeadores do trabalho de parto. No entanto, o volume é muito pequeno e, na prática, não é o que se percebe”, esclarece o ginecologista e obstetra Armindo Hueb, especialista em partos de risco.

A posição campeã no quesito conforto é a 'De Ladinho', ou seja, aquela que a mulher fica de costas para o parceiro
Renato Munhoz (Arte iG)
A posição campeã no quesito conforto é a 'De Ladinho', ou seja, aquela que a mulher fica de costas para o parceiro

Posições mais recomendadas

Quando se fala em sexo na gestação é preciso ter em mente que, com o passar dos meses, algumas limitações corporais vão surgindo naturalmente, especialmente por conta do crescimento da barriga e, às vezes, até dores na coluna. Desta forma, os casais devem priorizar o conforto, para que a mulher consiga sentir prazer durante o ato sexual.

E a posição campeã no quesito conforto é a “De Ladinho”, ou seja, aquela que a mulher fica de costas para o parceiro, segundo comenta a sexóloga Carmen Janssen. “Assim a mulher apoia a barriga na cama e fica com o corpo mais descansado”, diz.

Outra opção recomendada pela especialista, principalmente quando a barriga estiver maior, é aquela chamada de “Agachamento Erótico”, na qual o parceiro fica com as costas na cama e a mulher fica por cima, com uma perna de cada lado. “Nesta posição, ela pode controlar a penetração e o ritmo do sexo”, afirma. No entanto, seja qual for a posição sexual, ao sentir qualquer incômodo, a melhor atitude é interromper o ato e, depois, relatar o ocorrido ao obstetra.

Falta de apetite sexual

Mas não somente as dúvidas sobre a saúde sexual que preocupam as mulheres no período gestacional. Com as transformações no corpo, enjoos, dores nos seios e nas costas, além do “sobe e desce” de emoções por conta das alterações hormonais, muitas grávidas ficam com a libido em baixa. “São muitas mudanças físicas e psicológicas e, às vezes, a mulher tem dificuldade em lidar com o sexo”, diz a sexóloga Carmen Janssen, membro da Sociedade Brasileira de Estudos da Sexualidade Humana.

Veja ainda:  Sexo na gravidez é saudável e não machuca o bebê

A especialista diz que, se a gestante não se sente à vontade para transar, o melhor a fazer é conversar francamente com o parceiro. No entanto, Carmen lembra que, do ponto de vista físico, a mulher costuma até ter uma maior lubrificação vaginal neste período, o que poderia ajudar na penetração. “Também é importante ressaltar que quanto menos a gente se estimula, menos vontade a gente tem de transar. Então, às vezes, é bom tentar, respeitando sempre as limitações, claro”, afirma a sexóloga.

É claro que a perda da libido não acontece com todas as mulheres. Pelo contrário, algumas se sentem tão felizes e exuberantes com a gravidez que têm até mais vontade de transar, segundo afirma o psiquiatra e sexólogo Joaquim Zailton Motta. Para ele, há ainda outras formas de praticar o sexo, não somente com a penetração, e a gestante pode procurar o caminho mais confortável. “O melhor sexo é aquele que implica a participação do corpo inteiro e, não, o que se foca apenas nos genitais. É preciso explorar todo o corpo, fazer massagens, procurar zonas erógenas. Na gravidez, às vezes aparecem até áreas novas de prazer”, diz Motta.

Leia também:
O que pode e o que não pode na gravidez
Existe vida sexual pós-gravidez?

    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.