Vovó especialista em gastronomia indica 15 equívocos cometidos pelos pais, como dar bolachinha no lanche, doce de sobremesa e leite com achocolatado para dormir

Ao contrário do que acontece na casa de muitas vovós, onde tudo é “liberado”, macarrão instantâneo, salgadinho, refrigerante e cachorro-quente passam longe dos netos da escritora Rita de Cássia Ventura Gargioni, autora do livro “Vovó, Socorro - Agora Quero Suas Comidinhas” (Editora Drops). Formada em gastronomia, ela prepara e ensina os pais a fazer pratos saudáveis para os filhos. No cardápio, não entram produtos industrializados, nem itens com muito açúcar ou alto teor de gordura.

Apesar de parecer simples, a rotina de uma alimentação balanceada para as crianças nem sempre é fácil para os pais. Pouco tempo livre e até mesmo falta de habilidade na cozinha são alguns dos complicadores que muitas vezes levam os adultos a optar por produtos industrializados ao invés de alimentos in natura. “O maior erro dos pais é não se comprometer com uma dieta saudável para os filhos. É muito importante insistir e não desistir na primeira rejeição”, afirma Rita.

Para auxiliar nessa tarefa, a autora lista os 15 maiores erros quando o assunto é alimentação dos pequenos. Ela mostra que, com um pouco de dedicação e persistência, é possível incentivar o consumo de frutas, legumes e verduras.

Que tal mudar o preparo da batata e assá-la? O alimento fica saboroso e muito mais saudável que a versão frita
Thinkstock/Getty Images
Que tal mudar o preparo da batata e assá-la? O alimento fica saboroso e muito mais saudável que a versão frita

Erro 1: Bolachinha no lanche
Até os três anos de idade, a criança está desenvolvendo o paladar. Por isso, é muito importante que os pais procurem dar alimentos de alto valor nutricional aos filhos e evitem produtos industrializados, como os biscoitos, especialmente os recheados, que geralmente são ricos em gordura saturada, açúcar e sódio. “Colocar bolacha na lancheira do filho é outro grande erro”, afirma Rita Gargioni.

Erro 2: Batata frita no cardápio semanal
Muito relacionadas ao aparecimento de doenças cardiovasculares e obesidade, as frituras devem ser evitadas ao máximo, qualquer que seja a idade da criança. Em diversas ocasiões, é possível oferecer o mesmo alimento que seria frito na versão assada ou grelhada, como é o caso das batatas e dos empanados de frango, por exemplo. Assim, o prato fica menos calórico e muito mais saudável. Se não tiver jeito de fugir da tão desejada porção de batata frita, Rita aconselha controlar o consumo a cada quinze dias, no mínimo.

Erro 3: Cachorro-quente no almoço
Um aparentemente inofensivo cachorro-quente pode causar estragos no organismo das crianças, especialmente as menores. Isso porque embutidos como a salsicha têm alto teor de gordura saturada, conservantes e corantes, que podem causar alergias e problemas no estômago. Desta forma, procure nem comprar este tipo de alimento, para não cair na tentação da praticidade. “E jamais substitua um cachorro-quente por uma refeição. Nem pensar”, alerta Rita.

Leia também:
11 truques para seu filho comer melhor
12 alimentos essenciais para seu filho
Você sabe o que tem no prato do seu filho?

Erro 4: Na pressa, macarrão instantâneo
Prático e rápido de fazer, muitos pais lançam mão do macarrão instantâneo para saciar a fome dos filhos num dia corrido ou cansativo. O problema é que o produto tem quantidades excessivas de gordura e de glutamato monossódico, que pode causar retenção de líquidos e outros problemas de saúde, como hipertensão. Evite servi-lo às crianças, principalmente no primeiro ano de vida.

Erro 5: Suco de caixinha para matar a sede
Na hora de saciar a sede da criançada, o ideal mesmo é a água ou o suco de fruta natural, preparado preferencialmente na hora do consumo. Os sucos industrializados, também chamados de néctares, geralmente têm baixo valor nutricional e alto teor de açúcar, sódio e conservantes. “Se não conseguir fazer o suco natural, vale dar para a criança gominhos de laranja ou uvas para refrescar”, recomenda Rita.

Erro 6: Refrigerante sem moderação
Além de ser considerado pobre em valor nutricional, o refrigerante contém muito sódio e açúcar. Desta forma, enquanto conseguir “desviar” os filhos deste tipo de bebida, melhor, principalmente até os dois anos de idade. “Tem de acostumar a criança a tomar água e suco natural. Quando isso acontece cedo, depois ela mesma não vai querer refrigerante”, atesta a vovó Rita.

Formada em gastronomia, Rita Gargioni ajuda a preparar e ensina os pais a fazer pratos saudáveis
Divulgação
Formada em gastronomia, Rita Gargioni ajuda a preparar e ensina os pais a fazer pratos saudáveis

Erro 7: Suco na hora da refeição
O suco, mesmo que natural, ou qualquer outra bebida não deve ser oferecido durante a refeição. Isso evita que a criança fique “satisfeita” mais rápido e deixe de comer a comida. Sendo assim, a vovó Rita sugere esperar um tempo antes e após o almoço ou jantar para saciar a sede dos pequenos - e dê sempre água como primeira opção, seguida de suco natural.

Erro 8: Papinha batida no liquidificador
Toda mãe quer facilitar a vida do filho, mas bater os alimentos no liquidificador para agilizar a ingestão pode prejudicá-lo, ao invés de ajudá-lo. “Quando você só amassa a papinha, o bebê sente melhor a textura e o sabor de cada alimento. Além disso, ele precisa deste exercício para desenvolver a mastigação”, explica Rita. Portanto, apenas esmague os legumes com um garfo ou passe-os em uma peneira.

Erro 9: Sal e outros temperos
Apesar da diversidade de temperos nas gôndolas dos supermercados, os bebês precisam de uma comidinha mais leve, preferencialmente sem condimentos, segundo Rita. “Na introdução dos alimentos sólidos nem precisa colocar tempero. Só o sabor dos legumes e verduras basta, até para sentir o que a criança gosta”, explica a autora. Aos poucos, os pais podem ir acrescentando sal, salsinha e outros temperinhos, mas sem exagero.

Erro 10: Docinho na sobremesa
A maioria das crianças não resiste a um brigadeiro ou chocolate. Mas habituá-las a comer doces diariamente, como sobremesa ou recompensa por ter “raspado o prato”, pode trazer consequências desastrosas. “Em aniversários ou em dias de comemoração, tudo bem, mas os doces não devem fazer parte da rotina dos filhos”, adverte Rita. O ideal é sempre oferecer uma fruta após a refeição, que faz o papel de sobremesa, alimenta e contém vitaminas.

Erro 11: Iogurte industrializado
Para a vovó Rita, mesmo os iogurtes infantis intitulados de “enriquecidos com vitaminas” (também chamados de sobremesas lácteas) devem, sempre que possível, ser evitados na alimentação das crianças, pois têm corantes artificiais que podem causar alergias. “Há muitas receitas para fazer o iogurte natural em casa, de forma muito mais saudável”, defende. Para deixar a sobremesa mais apetitosa e docinha, bata o iogurte caseiro com a fruta preferida da criança.

Veja ainda:
O lanche escolar ideal para seu filho
Como fazer seu filho comer verduras e legumes

Erro 12: Oferecer gelatina colorida
Rita Gargioni também é enfática ao dizer que não se deve dar gelatina colorida às crianças, por conta dos corantes artificiais presentes no produto. No entanto, dá para incluir a guloseima no cardápio dos filhos de maneira saudável. Basta utilizar a versão incolor da gelatina e misturar o suco natural de uma fruta no preparo. “Pode até fazer com o suco da beterraba”, sugere.

Erro 13: Bolinhos recheados na lancheira
Sempre que possível, evite produtos industrializados na alimentação das crianças – isso inclui pão tipo bisnaguina, bolinhos recheados e afins, frequentemente presentes na lancheira. Estes itens normalmente contém gordura hidrogenada e poucos nutrientes e fibras. Para suprir o lanche dos pequenos na escola, a dica é enviar pão fresco ou feito em casa (pode ser o de panificadora portátil) e outros alimentos naturais. O bolo, desde que caseiro, é liberado comedidamente por conter açúcar. A fruta pode – e deve – ser incluída todos os dias.

Erro 14: Salgadinho
É comum ver crianças com um pacote de salgadinho em frente à TV. Com excesso de sódio e gordura além do recomendado, o produto é um exemplo contrário à alimentação saudável e deve ser evitado enquanto for possível. Além disso, no caso das menores de dois anos, ainda podem causar engasgos.

Erro 15: Para dormir, leitinho com chocolate
Oferecer leite misturado ao achocolatado ou mesmo com adição de açúcar, a fim de deixar a bebida mais docinha e incentivar o sono dos bebês, é um grande erro dos pais já que o valor nutricional do achocolatado deixa a desejar. O hábito também pode favorecer o surgimento de cáries. Desta forma, Rita indica tentar acostumar os filhos ao sabor natural dos alimentos. O leite puro é cheio de nutrientes importantes para o crescimento das crianças. Vale a pena investir nisso desde cedo.

Continue lendo:
Vegetarianismo infantil sem riscos
Seu filho está comendo bem?
Comer bem não é sinônimo de engordar

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.