Hospitais confirmam aumento da demanda por cesárea; mães querem data de aniversário especial para os filhos

Hoje é a última chance, pelo menos até o próximo século, que um bebê tem de nascer em um dia onde reina a repetição de números. Outra data como o 12/12/12 só em 01/01...de 2101. Para os numerólogos, a data marca a abertura de um portal energético que trará mudanças e renovação . De olho em toda a mística que o dia pode conter – e também atraídas pela particularidade da data -, centenas de futuras mães correram para os obstetras a fim de marcar o parto. Alguns hospitais da capital paulista, como o São Luiz, chegaram a registrar o triplo da média de agendamento de cesáreas.

A clínica Perinatal, no Rio de Janeiro, funciona hoje com a capacidade máxima. “Tivemos que limitar o número para 50 partos. Alguns obstetras, diante da dificuldade de agendamento, já anteciparam os nascimentos para o final da noite de terça-feira”, afirma Manoel Carvalho, diretor da clínica.

Boas energias
Hoje, pouco depois das 9h da manhã, no Hospital São Luiz, Valentina ganhou os braços da mãe pela primeira vez. A única e tão esperada menina em uma família com apenas netos homens tem “um nome forte e uma data de nascimento também forte”, diz a mãe, Thatiana Donega. A enfermeira de 31 anos não fez numerologia ou mapa astral, mas achou a combinação interessante. “Não sei o que os astros dizem sobre isso, mas acredito que o 12/12 vai trazer boas energias para minha filha. Meu marido fez mais questão do que eu”, revela. 

Essa não é a primeira tentativa da enfermeira e do marido, Fábio, de ter um filho em data repetida. O primogênito do casal, Leonardo, hoje com dois anos, estava programado para nascer no dia 10/10/10. Mas, com pressa, antecipou a chegada para o dia 11/09.

Leia também:
Mapa astral da criança ajuda pais a lidar com os filhos
Signos influenciam a personalidade da criança?

Embora afirme não ser ligada a esoterismos, Thatiana conta que Valentina, de certa forma, revelou antecipadamente a própria chegada. “Antes mesmo de contar que estava grávida, minha cunhada sonhou com uma menina. Meu marido também. Quando vimos a ultrassonografia que confirmou o sexo, ficamos até arrepiados. Ela foi muito esperada”, conta.

A corintiana Miriam aproveitou dois eventos importantes para marcar o parto: o jogo de futebol e a coincidência de números
Fernando Genaro/Fotoarena
A corintiana Miriam aproveitou dois eventos importantes para marcar o parto: o jogo de futebol e a coincidência de números

Para o escrevente Rodrigo Peres das Neves, que registra nascimentos dentro do São Luiz há 10 anos, a preferência por datas repetidas não é novidade. O primeiro grande aumento no número de partos que ele presenciou foi em 03/03/03. “O número de registro chega a duplicar em dias como estes”, afirma. Segundo um levantamento feito pelo escrevente, ano passado – no dia 11/11/11 – foram mais de 70 registros, contra 35 em dias normais.

Números e futebol

Para a psicóloga Miriam Vieira Pires Silva, o dia guardava duas grandes expectativas. “Somos corintianos e aproveitamos que a data coincidiria com o primeiro jogo do mundial. Também achamos que seria diferente por causa da coincidência de números e que a Manuela poderia gostar”, revela a torcedora fiel que não conseguiu ver a vitória por 1 a zero do Corinthians contra o Al Ahly porque estava na sala de parto. Também pesou na decisão uma pequena superstição dos pais. “Gostamos de dias pares. Meu primeiro filho, Murilo, nasceu no dia 30/06 e nossos aniversários também caem em dias pares”, revela.

Não apenas no dia 12/12/12, mas também às 12h, foi realizado o parto da veterinária Deborah Souza, na Casa de Saúde São Jose, no Rio de Janeiro. Mesmo que a escolha da data não tenha sido proposital, Deborah espera uma boa energia para o nascimento do filho. “Minha mãe acredita em misticismo e ficou extremamente feliz com a coincidência. Espero que a data traga bons fluidos para meu filho”, diz.

Vale ressaltar que a escolha dessa data só foi possível porque os bebês estavam prontos para nascer. Thatiana e Deborah estavam de 39 semanas e Miriam, de 40. Em todos os casos as mães foram orientadas pelas obstetras a escolherem uma data entre os dias 10 e 15 de dezembro.

“Para fazer o agendamento do parto, o médico precisa determinar que o feto tem maturidade confiável, ou seja, ter certeza da idade gestacional do bebê. A gravidez dura em torno de 40 semanas e para atingir essa maturidade é preciso, no mínimo, 38 semanas”, afirma o ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Fábio Antonio de Almeida Muniz. O obstetra faz questão de ressaltar que o agendamento é uma decisão que envolve médico e paciente. “Para marcar a data do parto é fundamental garantir que o feto não corre risco de prematuridade."

Veja o vídeo do momento em que Valentina é apresentada à família: 


Veja ainda
Quando é necessário fazer cesariana?
Tudo que a grávida pode ou não fazer na gestação
Gravidez semana a semana: as mudanças no seu corpo e a evolução do seu bebê


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.