Ganho de peso adequado na gestação, amamentação, organização e disciplina: especialistas indicam o que favorece a perda de peso depois do parto

A rapidez com que atrizes e famosas voltam à boa forma depois da gravidez surpreende. Deborah Secco, mãe de Maria Flor, de cinco meses, divulgou recentemente sua dieta e disse que ficou 23 horas sem comer .

Leia mais:  23 horas de jejum: riscos e benefícios da dieta da Deborah Secco

A lista é extensa e inclui nomes como Claudia Leitte, que subiu ao trio elétrico no carnaval de Salvador linda e megra dois meses após o nascimento de Davi, seu primeiro filho. A top Gisele Bündchen fotografou uma campanha de lingerie três meses depois de dar à luz Benjamin, seu segundo filho. 

Mas, afinal, como elas conseguem voltar à antiga forma tão rapidamente? O Delas consultou diversos especialistas que indicaram 8 fatores que favorecem a boa forma pós-gravidez.

Ganho de peso adequado

Cada pessoa tem um padrão de ganho de peso saudável durante a gestação. Esse número só pode ser determinado com o auxílio do médico. De maneira geral, o limite de ganho de peso seria de cerca de 12 quilos durante os nove meses. “Uma gestante que apresenta ganho de peso adequado chega a eliminar 70% dos quilos extras já no primeiro mês”, afirma a nutricionista Cátia Medeiros.

“Quanto mais quilos a mulher engordar, mais lento e demorado será o processo de volta a boa forma. Além disso, aumento de peso acentuado ocasiona flacidez de pele e tendência a formação de estrias, dois problemas difíceis de corrigir no futuro”, alerta o endocrinologista Guilherme Azevedo Ribeiro. Foi esse método que ajudou a atriz Carolina Dieckmann a perder os 30 quilos acumulados na segunda gravidez em onze meses.

Carolina Dieckmann ganhou 30 quilos na gestação do segundo filho, José
AgNews
Carolina Dieckmann ganhou 30 quilos na gestação do segundo filho, José

Alimentação

Item dos mais importantes na vida das novas mães, a alimentação é uma arma poderosa para quem deseja voltar ao peso anterior. “A grávida se empenha muito em comer tudo corretamente, mas depois que o filho nasce toda a motivação para ser saudável desaparece. Algumas mulheres ficam com apetite muito maior e acabam comendo qualquer coisa”, afirma a nutricionista especializada em cuidados na gestação e pós-parto Francine Barbosa.

Ela ressalta que o ideal é ter uma dieta balanceada, porém sem grandes restrições, para não interferir no processo de lactação. A sede também aumenta quando a mulher está amamentando. Mas é preciso ter cuidado, já que diversos tipos de líquidos engordam.

Amamentação

“A amamentação tem muita importância na perda de peso. Ela contribui positivamente para o esse objetivo porque tem uma demanda energética muito alta”, afirma Francine. A ressalva, nesse caso, é novamente para que a mãe tenha uma dieta balanceada. “A mãe não pode cair no mito de que deve comer um grande volume daqueles alimentos popularmente conhecidos por ‘dar leite’, mas que, geralmente, são muito calóricos. Procure o auxílio de um profissional para elaborar um cardápio adequado antes de cometer esse erro”, alerta Cátia.

Leia: 
Amamentar ajuda a perder peso depois da gestação?
Como cuidar do corpo e da pele durante a gravidez

Genética

Extremamente generosa em alguns casos, a genética está por trás de muitos casos de emagrecimento rápido. O problema é que quem não tem um metabolismo que favoreça a perda de peso fica em desvantagem. “A gente ouve muitas críticas direcionadas a algumas mulheres famosas que aparecem muito magras poucos meses depois do parto. Entretanto, é preciso lembrar que muitas delas têm a genética a seu favor. Uma modelo que sempre foi magra certamente vai voltar ao seu corpo normal em um tempo mais curto mesmo”, lembra Francine.

Exercício físico

Apenas o médico pode estipular a data adequada para o início do exercício físico. “Para muitas mulheres não é indicado que comecem a se exercitar nos primeiros 60 dias depois do parto, mas um médico deve ser consultado neste caso”, alerta Guilherme. 

Segundo o ginecologista e obstetra do hospital Albert Einstein Eduardo Zlotnik, além de permitir a volta mais rápida à antiga forma, o exercício físico após a gestação diminui o risco de depressão pós-parto e eleva a autoestima. "Não há necessidade de exercícios vigorosos. Uma caminhada no começo com os passeios com o bebê, alongamentos, drenagem linfática e ginástica localizada são ótimas opções", afirma. Apesar de não ser uma solução imediata, em médio prazo exercitar-se contribui decisivamente para que a mãe fique em forma novamente.

Deborah Secco voltou aos exercícios um mês após o nascimento de Maria Flor
Reprodução
Deborah Secco voltou aos exercícios um mês após o nascimento de Maria Flor


Veja também: 
Sete atividades físicas para uma gravidez mais saudável
Exercícios no pós-parto aliviam dores e dão mais conforto para as mães

Disciplina e força de vontade

“As famosas, de uma maneira geral, voltam muito rápido ao antigo corpo porque têm disciplina. Quem vive da imagem entende o valor disso. Não ficam se sentindo culpadas quando precisam deixar o bebê com outra pessoa para praticar atividade física, por exemplo. E não arrumam desculpas para não fazê-los”, afirma a personal gestante Gizele Monteiro. Os cuidados com o bebê exigem muito da mulher, mas isso não pode ser desculpa para adiar as sessões de malhação. Força de vontade durante esse período é fundamental para atingir o objetivo.

Organização

Um item chave para quem quer perder o peso extra da gravidez é a organização. Tanto para ter tempo de preparar um refeição balanceada quanto para conseguir se ausentar e fazer alguma atividade física. Segundo Gizele, organizar-se fica mais fácil quando a mulher conta com a ajuda de alguém, mas é possível desenvolver uma rotina de forma que a mãe use os momentos de sono do bebê para realizar suas tarefas diárias.

Sono

Uma boa noite de sono, importante para controlar o peso, pode parecer um sonho distante, mas existem maneiras de driblar essa limitação. Enquanto a criança não dorme muitas horas seguidas, a mãe deve aproveitar para descansar também durante o dia, enquanto o filho tira uma soneca. Isso tende a mudar depois dos três primeiros meses, quando geralmente o bebê já consegue ter uma rotina mais estabelecida com um período de sono noturno mais extenso. “Para um bom emagrecimento é preciso que se tenha uma boa qualidade de sono, com pelo menos seis horas contínuas”, ressalta Cátia Medeiros.


    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.