Em casa, no parque, na cidade: fotógrafos dão dicas para fazer boas fotos da família toda

Bebês e recém-nascidos costumam ser privilegiados pelas lentes dos fotógrafos, mas agora a família toda pode aparecer na foto. O ensaio em família retrata, nas palavras da fotógrafa Débora Fontes, o carinho e cumplicidade entre pais e filhos. 

O objetivo deste tipo de ensaio é clicar a família longe dos fundos neutros de estúdio, registrando cenas cotidianas em locações externas, como parques, ou internas, como a casa onde vivem. Mas podem ser locações personalizadas, também, que combinem com o gosto e o estilo da família: um aeroclube e uma feira de flores são exemplos de lugares em que a fotógrafa Vanessa Atalla já fotografou.

Enquanto hobbies e momentos especiais podem ser levados em consideração, para os mais reservados a fotógrafa Julinha Moreira sugere a realização do ensaio dentro de casa mesmo. Em um parque, muitas pessoas podem ficar olhando, o que pode ser desconfortável.

Fugir do artificial também é um dos princípios do novo ensaio em família e, no fundo, o que os pais mais procuram, de acordo com a fotógrafa Rejane Wolff. Se o ensaio for feito dentro de casa, é difícil que algo pareça forçado. “Em casa, pais e filhos estão em seu ambiente e podem agir com naturalidade”, diz Rejane.

O ensaio fica com uma cara mais intimista e a família poderá lembrar, em 20 anos, como era a casa onde viveram – incluindo aquele sofá que saiu da moda, como sugere Vanessa.

Dentro ou fora de casa, os momentos a serem fotografados variam. Uma família fotografada por Julinha, por exemplo, estava com a casa em reforma e ela sugeriu que as fotos fossem feitas ali mesmo, entre tapumes e cavaletes. “A ideia do ensaio é, principalmente, a de contar uma história”, define.

Evite o flash e opte por ambientes coloridos

Para clicar a família, evitar o flash é a primeira dica. “Procure sempre fotografar com a luz disponível no ambiente”, afirma Rejane Wolff. Se for um ambiente interno, fotografe perto de janelas. Mas lembre-se que a luz do meio-dia pode deixar sombras nos rostos: o melhor, de acordo com Débora Fontes, é fotografar bem cedinho ou no final da tarde. Se o ambiente for colorido, melhor ainda: cores deixam as fotos mais bonitas.

Para quem tem bebês ou crianças ainda bem pequenas na família, a fotógrafa Vanessa Atalla indica focar em detalhes, como mãozinhas e pezinhos. Se o filho já for maiorzinho e gostar de fantasias, deixe-o usá-las: vale apostar na imaginação nessas horas.

“Olha o passarinho!” nunca mais

Vanessa também lembra que não se deve ficar chamando a atenção da criança o tempo inteiro para olhar para a câmera. “Ela pode ficar tímida ou sair correndo”, diz. O importante é ser natural: clique o pequeno da casa enquanto ele estiver brincando, comendo, desenhando.

A espontaneidade das crianças também vale para os adultos. Lembre-se que o momento é o que mais conta, mesmo se for um momento proposto – os pais podem, por exemplo, reunir os filhos para preparar cupcakes, como sugere Vanessa Atalla. Se todos estiverem com um sorriso no rosto, mesmo que seja um momento simples, já é meio caminho andado para as fotos se tornarem boas lembranças.

Leia também

- Como fotografar o bebê recém-nascido
- Dez dicas para fotografar o bebê
- 31 boas ideias para tirar fotos criativas do seu filho

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.