Parece, mas não é: descubra produtos que, embora mais saudáveis do que fast food, não devem ser consumidos com frequência pelas crianças

Nem sempre opções vendidas como saudáveis substituem uma fruta ou lanche natural
Getty Images
Nem sempre opções vendidas como saudáveis substituem uma fruta ou lanche natural

Uma das principais preocupações dos pais é a alimentação dos filhos. A busca por soluções para uma criança que não come costuma passar por negociações, com os adultos aceitando substituir alimentos saudáveis por opções que, se não são uma fruta fresca, pelo menos tampouco são tão condenáveis quanto um hambúrguer com batatas fritas. 

(Veja, ao final da página, os 10 piores alimentos para crianças)

Mas muitas alternativas aparentemente saudáveis passam longe de fazer bem à saúde da criança. Reveja seus conceitos se seu filho costuma consumir com frequência.

1. Iogurtes infantis

Embora anunciado como fonte de vitaminas e minerais, o iogurte para crianças não costuma ser indicado. A nutricionista Fernanda Faria, da Consultoria e Assessoria Nutricional Duo Nutri, sugere uma leitura atenta dos ingredientes na embalagem, muitos deles palavras quase impronunciáveis. “São os famosos conservantes e estabilizantes”, diz.

A maioria desses iogurtes, segundo a também nutricionista Camila Podete Luiz, consultora responsável pela Nutri Materno Assessoria Nutricional, contém muito açúcar.

Vale trocar por:  iogurte natural batido com fruta. O preparo é rápido, a bebida fica com a cor das frutas – como morango e mamão – e pode até ser mais atraente para a criança. Muito mais saudável e sem corantes.

Leia mais
Passo a passo: aprenda a fazer lanches com carinha para as crianças
11 truques para seu filho comer melhor
O lanche escolar ideal para as crianças

2. Sucos de caixinha

Eles são indiscutivelmente mais práticos, especialmente para mandar na lancheira. Mas a nutricionista Karine Nunes Costa Durães, membro do Comitê Técnico Científico da Associação Paulista de Nutrição e autora de blog sobre nutrição infantil, alerta que alguns contêm até 80% de água com açúcar e somente 20% de fruta.

Vale trocar por: sucos com maior proporção de polpa ou, quando possível, sucos naturais, preparados na hora. “O melhor é sempre o suco natural”, diz Karine.

Leia também:  O que seu filho está bebendo?

3. Barrinhas de cereais

Comuns entre os adultos, as barrinhas de cereais muitas vezes invadem a dieta das crianças. Mas é preciso estar atento aos ingredientes que elas contêm. De acordo com a nutricionista Fernanda Faria, algumas barrinhas de cereais são mais calóricas que uma barra de chocolate.

Vale trocar por: lanches naturais. “Ela pode até compor um lanche rápido para variar a alimentação, mas o uso de industrializados deve ocorrer apenas eventualmente”, recomenda a nutricionista Cátia Medeiros, da Atual Nutrição.

4. Granola

Alguns pais adotam a granola com leite para o café da manhã das crianças mais velhas, em substituição a cereais muito ricos em açúcar. Mas, dependendo da marca, a granola também pode conter açúcar. Mesmo sem açúcar, apenas a granola não fornece todos os nutrientes necessários para seu filho. O ideal é adicionar frutas.

Vale trocar por: um café da manhã mais completo. Não precisa ser daqueles de novela: Fernanda Faria comenta que o ideal é ter leite ou suco natural, um pequeno sanduíche com queijo ou peito de peru e uma fruta.

5. Bebidas isotônicas

Ricas em carboidratos, minerais e aromatizantes, as bebidas isotônicas não são indicadas para crianças – embora estejam até em cantinas escolares. De acordo com Fernanda Faria, as bebidas isotônicas podem levar as crianças ao consumo excessivo de calorias, o que aumenta as chances de sobrepeso e obesidade.

Vale trocar por: suco e até mesmo água. São mais baratos e ideais. “Crianças devem ser estimuladas a beber água e suco natural sem adição de açúcar. Melhor ainda se não for coado, com maior concentração de fibras”, diz a nutricionista Catia Medeiros.

Se tiver de optar por produtos industrializados, prefira os integrais
Getty Images
Se tiver de optar por produtos industrializados, prefira os integrais

6. Salgadinhos mais “saudáveis”

O mercado oferece versões assadas, com teores de sódio e gordura reduzidos. Ainda assim, os teores em questão continuam altos, como o valor calórico. “Mesmo com as calorias de um lanche adequado, esses salgadinhos podem conter aditivos e excesso de gordura saturada”, diz a nutricionista Karine Nunes Costa Durães. Segundo a nutricionista Camila Podete, os salgadinhos assados podem até ser dados de vez em quando, mas com parcimônia.

Vale trocar por: frutas oleaginosas, como passas e nozes. Camila também sugere bolinhos orgânicos de fruta, com farinha integral. “Se for dar algo industrial, melhor que seja integral”.

7. Macarrão e sopa instantânea

Por praticidade, muitos pais acabam optando por eles sem saber o quanto são contraindicados. Refeições instantâneas são fáceis de preparar, mas contêm enorme quantidade de sódio e pouquíssimos nutrientes.

Vale trocar por: macarrão comum, com molhos simples feitos em casa, e sopinhas caseiras.

>> Veja, na galeria abaixo, os 10 piores alimentos para crianças:

Leia mais sobre nutrição infantil:
Ajude seu filho a comer melhor
Como fazer seu filho comer verduras e legumes

>>> Assine a newsletter do Delas , curta nossa página no Facebook e siga o @Delas noTwitter <<<

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.