Ansiosos para que o filho se desenvolva adequadamente, muitos pais exageram na dose. Descubra se você é um deles

Alimentar o bebê isolado da família parece uma boa ideia para evitar a
Getty Images
Alimentar o bebê isolado da família parece uma boa ideia para evitar a "bagunça", mas impede a socialização e o aprendizado por observação

Com a chegada do bebê a casa nunca mais será a mesma. As mudanças no cotidiano devem levar em conta o novo membro da família, mas não apenas ele: o ideal é pensar no bem-estar coletivo.  

Leia também

Bebês de três meses dormindo a noite toda é promessa de novo livro

30 alimentos que seu filho não pode deixar de comer

A vida com o filho deve se aproximar ao máximo do que era a vida do casal, mas com ponderação. Se querem levar a criança para jantar fora com os amigos, os pais podem adiantar o horário do programa e evitar sair às nove da noite, quando o pequeno já está dormindo. “A rotina é o que dá segurança para a criança se desenvolver e ela depende disso”, ressalta Daniela de Rogatis, consultora na área de educação e família e autora de um blog sobre o assunto.

Por outro lado, as crianças também devem se adaptar aos hábitos dos adultos. Não dá mais para ouvir música pesada no último volume, mas tampouco é preciso baixar um decreto de silêncio absoluto na casa. “A criança vai se acostumando à rotina da casa e todos vão convivendo melhor”, diz Daniela.

Leia também

Aprenda a fazer passo a passo comidas divertidas para as crianças

Os dez maiores desafios da maternidade -- e como superá-los

Poupar as crianças de tudo que os pais imaginam que causará desconforto cerceia o crescimento saudável. “Por excesso de zelo, os pais acabam deixando de apresentar o mundo para a criança”, diz a pedagoga Valéria Franco, orientadora pedagógica do Programa de Educação Infantil da ONG Ação Comunitária.

Ajudar a criança a desenvolver todo seu potencial, permitindo a ela enfrentar situações diversas no tempo adequado, é a base do conceito do “estímulo oportuno”. E muitos pais cometem – sem saber – erros comuns. Descubra abaixo se você está entre eles.

Você sempre conversa com seu filho em linguagem infantilizada? Pense melhor
Getty Images
Você sempre conversa com seu filho em linguagem infantilizada? Pense melhor

Você alimenta seu filho separadamente?

De acordo com a nutricionista Camila Podete, consultora da Nutri Materno Assessoria Nutricional, em São Paulo, a criança deve fazer as refeições com os pais sempre que possível, seja para aumentar o vínculo, seja para entender que existe uma rotina naquela casa.

Comer com os adultos também serve de referência para aprender a se comportar em um restaurante. A criança pode estar em uma mesinha ou em um cadeirão por perto, se ainda for muito pequena, e os pais devem evitar brinquedos ou televisão nesta hora, para que ela entenda que aquele é o momento de alimentação e socialização com a família.

Veja os sete erros dos pais ao ensinar a criança a comer sozinha

Você conversa com a criança usando “linguagem de bebê”?

Falar com o bebê sempre de forma infantilizada e substituir palavras como “água” por “ága” quando ele está aprendendo a falar também não é uma boa ideia, por mais que você ache bonitinho.

Edimara de Lima é psicopedagoga e diretora da Prima Escola Montessori e explica que, entre os seis meses e os dois anos de idade do bebê, os pais devem falar com a criança de forma correta. O afeto no tom e em algumas palavras é sempre bem-vindo, mas não vale empobrecer o repertório.

Os pais devem ter paciência com os primeiros passos do bebê e evitar o andador
Getty Images
Os pais devem ter paciência com os primeiros passos do bebê e evitar o andador

Você não vê a hora do seu filho dar os primeiros passinhos?

Condenado pela Sociedade Brasileira de Pediatria, o andador é considerado nocivo ao desenvolvimento infantil. Além de poder levar a quedas, ele atrasa a aquisição da confiança necessária para andar sem o acessório.

“Pais que têm pressa em ver a criança andando podem não permitir que ela passe pelas etapas necessárias para andar com confiança, como engatinhar, ficar de pé e andar com apoio para depois conseguir andar sozinha”, diz Patrícia Spada, especialista em psicologia infantil pela Unifesp. Os pais devem respeitar o ritmo da criança.

Faça o teste: qual a cor do cérebro do seu filho?

Você confia no seu taco como mãe?

O último erro comum dos pais é a falta de confiança neles próprios. Quando o bebê começa a ir para o berçário ou para a escola, por exemplo, é comum que ele chore nos primeiros dias ou até nas primeiras semanas. Isso acontece pelo distanciamento dos pais, mas de acordo com Rosana Ziemniak, diretora do berçário e da educação infantil do Colégio Magister, levar a criança correndo de volta para casa não vai adiantar em nada. “A criança só cria segurança e confiança quando passa por situações em que a palavra dela não é a final”, conclui.

Faça o teste
Permissiva, participativa ou autoritária: como você educa seu filho?

>>> Veja os Especiais de Filhos

Guia de nomes de bebês

Gravidez Semana a Semana

100 Brincadeiras

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.