Banimento de substância foi pedido pelo conselho que representa a indústria química americana depois de consumidores protestarem contra o uso do bisfenol A

NYT

Grupos de defesa do consumidor divulgaram estudos sugerindo que a substância química desencadeia uma série de doenças
Thinkstock/Getty Images
Grupos de defesa do consumidor divulgaram estudos sugerindo que a substância química desencadeia uma série de doenças

O uso do controverso bisfenol A (BPA), matéria-prima do policarbonato, plástico resistente e transparente, está proibido em mamadeiras e copos antivazamento usado por crianças, conforme anunciou a Agência Federal de Alimentos e Medicamentos (FDA), nesta terça-feira (17). (No Brasil, a Anvisa proibiu o uso da substância em setembro do ano passado).

A mudança foi motivada por um pedido feito em outubro de 2011 pelo American Chemistry Council, que representa a indústria química americana, como forma de esclarecer aos consumidores que o bisfenol A não será mais encontrado nesses itens.

Grupos de defesa do consumidor divulgaram estudos sugerindo que a substância química pode alterar os hormônios e desencadear uma série de doenças em crianças e adultos, como câncer, obesidade e problemas de desenvolvimento e reprodutivos.

Leia: Bisfenol A é apontada como vilã pelos médicos e mobiliza mães

Grupos de defesa do consumidor divulgaram estudos sugerindo que a substância química pode alterar os hormônios e desencadear uma série de doenças em crianças e adultos, como câncer, obesidade e problemas de desenvolvimento e reprodutivos.

Em sua decisão, o FDA disse que a proibição para o uso do bisfenol A em “garrafas de alimentação infantil – mamadeiras – e copos à prova de derramamento, incluindo seus fechos e tampas, está em vigor a partir desta terça-feira (17).”

"Proteção limitada"

Em um comunicado à imprensa, o grupo ambiental National Resources Defense Council (NRDC) aplaudiu a decisão, mas disse que ela ainda oferece aos consumidores apenas “proteções limitadas”.

Como o BPA pode ser encontrado em outros produtos plásticos, a resolução do FDA “ainda deixa o público exposto a problemas de saúde pelo contato com embalagens de alimentos”, disse o NRDC.

Leia também:
Fraldas, mamadeira, chupeta: existe idade certa para largar?
10 motivos para amamentar seu bebê

“Este é apenas um pequeno passo na luta para erradicar o bisfenol A” afirmou a cientista do NRDC Sarah Janssen no comunicado. “Para realmente proteger o público, o FDA precisa banir o uso do bisfenol A em todas as embalagens de alimentos. Essa proibição - tomada somente depois que os consumidores se afastaram dos produtos infantis que contém bisfenol A - é incompleta. O FDA continua a se esquivar das perguntas mais importantes sobre a segurança no uso do bisfenol A.”

O American Chemistry Council (ACC) defendeu a segurança da substância química em um comunicado. “O bisfenol A é um dos produtos químicos mais testados no comércio de hoje. O consenso das agências governamentais em todo o mundo é que o BPA é seguro para uso em materiais que tenham contato com alimentos, incluindo produtos destinados a lactantes e crianças pequenas.”

Apesar de proibição do Bisfenol A em mamadeiras e copos antivazamento, polêmica continua
Thinkstock/Getty Images
Apesar de proibição do Bisfenol A em mamadeiras e copos antivazamento, polêmica continua

Distração

No comunicado, o porta-voz do ACC Steven Hentges disse que a proibição do uso do bisfenol A em mamadeiras e copos antivazamento era necessária porque “a confusão sobre o uso ou não do bisfenol A em produtos destinados ao público infantil tinha se tornado uma distração desnecessária para os consumidores, legisladores e reguladores estatais.”

O ACC salientou que “os fabricantes de mamadeiras e copos antivazamento anunciaram há vários anos que, devido à preferência do consumidor, tinha parado de usar o BPA nestes produtos.” Mas de acordo com o NRDC, a luta para eliminar o bisfenol A de todos os produtos continua.

“Em março, o FDA rejeitou uma petição do National Resources Defense Council para proibir o uso da substância química em todas as embalagens de alimentos, mas a agência enfatizou que não estava fazendo uma determinação final da segurança do bisfenol A”, disse o grupo. “Em vez disso, continuaria a analisar a investigação em curso de efeitos do bisfenol A na saúde.”

O NRDC também afirmou que, mesmo depois de alguns fabricantes de alimentos enlatados voluntariamente removerem o bisfenol A das suas embalagens, a sua utilização em latas de alimentos e bebidas continua sendo legal.

Leia ainda:
União Europeia proíbe bisfenol-A em mamadeiras
Anvisa proíbe venda de mamadeiras com bisfenol na composição

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.