A cada 15 segundos pelo menos uma mulher e espancada no Brasil. Mas a minoria recorre ao Ligue 180 (Central de Atendimento a Mulher). Entenda o que pode ser considerada ?violencia domestica? e a quem recorrer neste caso

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ModeloiG%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237491676924&_c_=MiGComponente_C

O que e?

A Lei Maria da Penha (que acaba de comemorar seu segundo aniversario) especifica que a violencia contra a mulher pode ocorrer em tres esferas:

- Domestica: Na residencia onde convivem parentes ou n?o, incluindo pessoas que a frequentam ou s?o agregadas;
- Familiar: Individuos que s?o ou se consideram aparentados, unidos por lacos naturais, por afinidade ou por vontade;
- De qualquer relac?o intima de afeto: Aqui o agressor pode conviver ou ter convivido com a vitima, independentemente se vivem debaixo do mesmo teto e se s?o hetero ou homossexuais.

Tipos de violencia

Psicologica: Atitudes que atingem a auto-estima da mulher, exemplo: que a manipulem, intimidem ou que a facam sofrer ameacas, agress?es verbais, humilhac?o e isolamento.

Fisica: Nada de dizer que um tapinha n?o doi. Aqui se enquadram os atos que ofendem a integridade fisica da mulher, como: tapas, socos, pontapes, belisc?es, empurr?es, pux?es de cabelo e arranh?es.

Sexual: Ninguem e obrigada a manter relac?es sexuais contra a sua vontade.

Moral: Qualquer ato que configure calunia, difamac?o ou injuria.

Patrimonial: Destruic?o de objetos pessoais (instrumentos, documentos e outros pertences) ou transferencia de bens a forca.

Ligue 180

Em qualquer um dos casos acima, voce deve recorrer ao Ligue 180 (Central de Atendimento a Mulher). Cada atendimento muitas vezes pode significar uma vida salva, sinalizou a ministra da Secretaria Especial de Politicas para as Mulheres, Nilcea Freire, durante a coletiva de imprensa da campanha Fale sem Medo ? N?o a Violencia Domestica, promovida pelo Instituto Avon, em S?o Paulo.

Basta um telefonema: Tivemos casos em que as mulheres que estavam sendo agredidas naquele momento conseguiram se trancar em um banheiro e, atraves de um celular, ligar na Central, que acionou a policia e fez a pris?o em flagrante, relata a ministra.

Neste ano ja foram registrados mais de 200 mil atendimentos na Central. Mas isso ainda e pouco diante da realidade. Somente 1% dos entrevistados diz conhecer ou achar que as mulheres que vivenciam a violencia recorrem ao numero 180. Mas se ampliarmos o conhecimento sobre ele (Ligue 180), imagine quantas mulheres poderemos ajudar e quantas vidas poderemos salvar?, comenta Nilcea.

Avon Foundation

A atriz hollywoodiana Reese Whiterspoon , 32 anos, e embaixadora Global da Avon desde 2007. Ela veio ao Brasil recentemente para ajudar a divulgar o lancamento da campanha (Fale sem Medo ? N?o a Violencia Domestica).

Como sou famosa e a midia se interessa pela minha vida, acho importante falar sobre essas quest?es. A violencia domestica e um tema sem barreiras que afeta todo mundo, independente da situac?o financeira, diz a norte-americana protagonista da comedia Legalmente Loira

E perturbador saber que uma em cada tres mulheres no mundo inteiro e afetada por algum tipo de violencia. Entre todas as mulheres da America Latina, cerca de 30% a 40% ja passaram por isso. E bem mais da metade n?o denuncia!, aponta Reese. Apesar de n?o ter sofrido pessoalmente nenhum tipo de violencia, as estatisticas mostram que n?o existe uma mulher no mundo que n?o conheca uma amiga ou um parente que esteja sofrendo violencia!, declara ela.

Clube da Luluzinha, nada!

Esse N?O e um assunto so para elas. A diretora regional do UNIFEM (Fundo das Nac?es Unidas para o Desenvolvimento das Mulheres) para o Brasil e Cone Sul, Ana Falu, chama a atenc?o: Precisamos contar tambem com os homens. E e nesse sentido que o Secretario Geral da ONU, o senhor Ban Ki-Moon, promove uma campanha mundial de conscientizac?o dos homens. E ja sabemos que o presidente Lula ira aderir a essa campanha..., adianta ela.


Veja o video da Campanha Fale sem Medo:
http://br.youtube.com/watch?v=EKGpezWaO6E

Saiba mais:
www.violenciamulher.org.br
www.br.avon.com

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.