"De Cuba, com Carinho", de Yoani Sanchez, será lançado no país, mas editora enfrenta dificuldades para trazê-la ao lançamento

Yoani Sánchez corre o risco de não poder
comparecer ao lançamento do próprio livro no Brasil
Reprodução
Yoani Sánchez corre o risco de não poder comparecer ao lançamento do próprio livro no Brasil
Imagine publicar na internet histórias que revelam tudo o que você pensa sobre seu país. Imagine também, que os seus pensamentos não vão de acordo com os que dirigem a nação à qual você pertence. Agora imagine você ter dificuldades para sair dela, mesmo temporariamente, criadas pelos que o governam. Esta é situação enfrentada por Yoani Sanchez.

Blogueira cubana, Yoani foi eleita, em 2008, uma das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista americana Time ( leia entrevista de Yoani para o Delas ) e, no mesmo ano, ganhou o Prêmio Ortega y Gasset de Jornalismo na categoria “Jornalismo Digital”. Em 2009, continua criando maneiras para expor suas ideias ao mundo todo, mesmo que elas não cheguem a todos seus conterrâneos, os cidadãos de Cuba.

Segundo afirma em seu blog, o Generación Y , o espaço virtual público foi uma aquisição para que pudesse dizer “o que lhe está proibido em sua civilidade”. Ele nasceu em 2007, mas antes de completar um ano foi impedido, por meio de um filtro implantado pelo governo cubano, de ser visitado nos arredores da ilha. Hoje, mesmo sendo extremamente complicado – e caro – entrar na internet, Yoani conta com amigos de fora para continuar com a propagação do Generación Y pelo mundo. Nem com este empecilho deixou de escrever, o que prova com o lançamento de seu livro “De Cuba, com Carinho”, publicado este mês pela Editora Contexto.

Desde o início de setembro, Yoani está convidada a vir ao Brasil para participar de eventos envolvendo o lançamento de seu livro. No entanto, uma série de exigências burocráticas por parte do governo cubano têm complicado a confirmação da presença da escritora aqui. Segundo comunicado do sócio e diretor da Contexto, Daniel Pinsky, um convite oficial já foi registrado em cartório, legalizado pelo Itamaraty e protocolado no Consulado Cubano mais de uma vez, mas ainda não foi aceito e, pelo contrário, sempre recebe diferentes demandas para que seja autorizado.

O caso, que acabou chegando aos ouvidos de alguns políticos brasileiros, espalhou comoção e levou o senador Eduardo Suplicy e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso a reiterarem o convite para que Yoani receba a permissão necessária do governo de Cuba para fazer uma visita ao Brasil.

No blog da reconhecida cubana, um pequeno texto foi postado em 27 de setembro e ganhou mais de mil comentários. Com o título “Previsões e prazos não cumpridos” (“Pronósticos y plazos incumplidos”, em espanhol), o post fala sobre o assunto e, nele, Yoani afirma não ter muitas esperanças de participar do lançamento de seu livro aqui, que acontece em 29 de outubro no Rio de Janeiro e no dia 6 de novembro em São Paulo – com ou sem a presença da escritora.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.