FONT-SIZE: 12pt; FONT-FAMILY: Arial; mso-ansi-language: PT-BRVerdana, Arial, Helvetica, sans-serifApaixonadas de plant?o, calma! O amor n?o esta batendo asas e nem voce tera que se virar sozinha. Descubra as mudancas que os novos tempos est?o trazendo em nome da pessoa mais importante do mundo: voceurn:schemas-microsoft-com:office:office /

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ModeloiG%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237491676275&_c_=MiGComponente_C

Esta na hora de rever essa noc?o de amor, t?o antiga e capaz de sugar as energias de qualquer mortal. Viver uma relac?o em func?o de alguem, descabelar-se pela loucura da possess?o ou se esquecer de tudo o que a vida tem de bom, mas que pode interessar so a voce, n?o e uma vida a dois saudavel.

O psicoterapeuta Flavio Gikovate, em seu novo livro Uma Historia de Amor... Com Final Feliz (MG Editores), retrata as novas relac?es humanas e traca um novo caminho para esse tal de amor. Ele admite que, com o fim do amor romantico, o individuo tem mais e que comemorar: Voce ganha o direito de preservar a sua individualidade. Com isso, ganha os privilegios da vida de solteiro junto com as delicias de uma vida compartilhada, comenta o psicoterapeuta.

Tirar uns momentos so pra voce e ser firme e forte na defesa pelos seus prazeres (que nem sempre caminham junto com os do parceiro) s?o atitudes que d?o um up na relac?o e n?o passam por cima dos interesses de ninguem. Cada um pode ir atras daquilo que o encanta. Existe a minha vida, a sua vida e a nossa vida. As pessoas mais individualistas s?o mais independentes e completas em si mesmas e e claro que tender?o a ser mais felizes, explica Gikovate.

A busca do grande amor

E importante estar bem com voce mesma, se conhecer e reconhecer o que lhe da prazer antes de se enfiar em uma relac?o. E isso n?o pode ser deixado de lado depois que o namoro comeca, sen?o pode ser o fim da possibilidade de um grande amor.

E preciso saber que tudo se inicia com a busca de maturidade emocional, aquisic?o de boa auto-estima e, portanto, condic?es para buscar um parceiro semelhante em termos de carater, gostos e projetos de vida. N?o adianta continuar a imaginar que todos os relacionamentos poder?o vir a funcionar bem. So os que s?o baseados em afinidades e que ser?o, de fato, grandes amores, admite o autor.

E o casamento?

Se casamento pra voce e n?o sair mais para tomar uma cerveja com as amigas e interromper o futebol do namorado, pode comecar a repensar. O fim dessa relac?o esta em contagem regressiva, para o psicoterapeuta.

O casamento tradicional, baseado na alianca de pessoas opostas e complementares, esta com os dias contados em virtude do carater ciumento, possessivo e dominador que o caracteriza e que e incompativel com os anseios de individualidade dos tempos que correm, diz ele.

Sexo: importante quest?o

Prepare-se: a forma de encarar o sexo tambem e alterada, nesses novos tempos. Com a auto-estima la em cima, confiante em voce (e no parceiro), o ciume, a desconfianca e aquela raiva descontrolada que apimentava a relac?o ir?o dar lugar a outro tipo de afrodisiaco na relac?o sexual: o caminho libertador da sexualidade passa pela compreens?o de que sexo e amor s?o impulsos distintos. Na hora do sexo, o clima tem que se alterar na direc?o de uma certa vulgaridade, sair do contexto da ternura romantica, afirma Gikovate.

Mas sera que tudo isso n?o abre brechas para traic?es? O psicoterapeuta afirma que n?o. Do ponto de vista da lealdade, ha forte tendencia nos novos relacionamentos de qualidade a fidelidade sexual. A individualidade maior e o aumento da liberdade n?o implicam em busca de novos e variados parceiros eroticos.

O fim do amor romantico n?o implica em apenas um outro olhar sobre o amor. A valorizac?o da individualidade abre espaco para quem n?o quer dividir a vida com ninguem e esta a fim de seguir sozinho. Nem todo mundo ira querer jogar o jogo da vida em duplas. Muitos ir?o preferir jogar jogos individuais e n?o ha nenhum problema nisso, esclarece Flavio Gikovate.

Amor romantico? Deixe essa ideia para a sess?o de cinema com pipoca e para a literatura. Os tempos agora s?o outros... e s?o muito melhores!

    Leia tudo sobre: amor
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.