Como ensinar as criancas menores o valor do dinheiro?

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ModeloiG%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237491672545&_c_=MiGComponente_C

Na epoca de nossos avos, n?o era comum falar sobre dinheiro com criancas. Crianca n?o precisa saber disso parecia ser a linha de pensamento corrente. Hoje em dia, porem, o contato das criancas com o dinheiro e inevitavel. O tempo inteiro somos bombardeados com as palavras juros, preco, barato, compre. A educac?o financeira para criancas, portanto, se tornou fundamental.

E logico que uma crianca de tres anos n?o vai saber quanto valem R$ 50. Porem, ela ja precisa ter contato com noc?es basicas de organizac?o, de responsabilidade, para poder, mais tarde, absorver conceitos financeiros. Perto dos dois anos de idade, a crianca ja entende que dinheiro existe e que se troca dinheiro por algumas coisas. Mas n?o entende o conceito de valor.

Algumas escolas ja incluiram em sua grade de aulas a materia Educac?o Financeira. Mas como ensinar para uma crianca, um ser t?o imediatista, a importancia de poupar?

Segundo pedagogos, so se deve estimular o habito de poupar a partir dos 10 anos de idade. Antes disso, a crianca n?o vai conseguir se programar para gastos futuros. Mas ela pode aprender o conceito basico da poupanca em habitos cotidianos: quando se guarda o sorvete para o fim de semana, por exemplo, ela entende que se esperar vai ter um beneficio mais tarde.

Os pedagogos tambem alertam que se toda vez que a familia sair o programa for fazer compras, isso vai fazer com que a crianca associe prazer aos gastos. O melhor exemplo vem mesmo de casa.

Outra lic?o basica que a crianca precisa aprender e a diferenca entre o desejo e a necessidade. O papel da escola, neste ponto, e fundamental tambem, assim como o dos pais. Rogerio Bettoni, filosofo e professor, diz: Falar e muito simples, mas a crianca precisa sentir na pele. Isso e feito com os alunos dentro e fora de sala de aula. Nos os levamos para conhecer instituic?es onde as criancas n?o tem grana e vivem com o minimo de recursos. Damos exemplos com pesquisas de preco, levando os alunos a supermercados e farmacias, para que vejam a diferenca nos produtos, diferenciac?o de marcas, no sentido de: voce compra a marca ou o produto?.

Rogerio complementa: O principal e que eles desenvolvam a consciencia da escolha, entendam a diferenca de ser necessario e ser desejado. Obviamente tudo isso e introdutorio, apenas ? a crianca ainda n?o consegue abstrair a coisa dessa maneira, so vai aprender de fato quando tiver seu proprio dinheiro. O processo e lento, mas a gente ve a crianca mudando aos poucos, e tem que ser um trabalho sempre aliado ao poder de persuas?o da midia.

A mesada ou semanada e um assunto a parte ? e bem polemico. Alguns educadores creem que dar um certo valor regularmente ao seu filho (semanada para os mais novos, mesada para os mais velhos) pode ser um bom instrumento para educa-lo financeiramente ? nunca como uma premiac?o, que fique bem claro. Mas so vai valer a pena se voce tiver muita firmeza na hora do acordo: acabou o dinheiro, a crianca fica sem ? ate a proxima remessa. Nada de negociar. Mas ha quem repudie a ideia da mesada.

A pedagoga Ana Maria Ribeiro de Almeida e contra. Ela diz: Como pedagoga e m?e, nunca fui adepta da mesada, pelo menos n?o para criancas menores. Segundo ela, esse e um assunto que pode gerar confus?o, com os pais pagando para que o filho desempenhe sua func?o de filho. Mas ela e a favor do bom e velho cofrinho: Acredito ser bem significativo para a crianca aprender desde cedo a importancia de se guardar sempre um dinheirinho. Aquele dinheiro que for guardado no cofre deve ter sempre um objetivo: um brinquedo, uma roupa nova, a festa de aniversario..., diz Ana Maria. Ludico e pratico.

Some essas dicas a sua reflex?o e divida-as com sua familia. O resultado, no final das contas, certamente sera de grande valia para todos.


Leia mais sobre: financas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.