Qualquer assunto e motivo para começar uma discussão na relação. Entenda porque as mulheres adoram uma DR e saiba como usá-la como antídoto para a vida a dois

Uma recente pesquisa da Universidade de Michigan revelou que casais que discutem em casa vivem juntos por mais tempo. Nós, mulheres, já sabemos disso, afinal, somos famosas pela fixação em DR (discussão da relação)! Mas resolver o que não está no lugar é fundamental para uma vida a dois tranquila, sem ter que passar o tempo todo engolindo sapo.

De onde vem a DR?

Explicar o que incomoda, conversar e desabafar com o parceiro e fato corrente na vida de todo casal, desde o tempo da sua avó. Mas de onde vem esse hábito? Quem explica e a terapeuta de casais Regina Vaz, autora do livro Vamos Discutir a Relacão? (Ed. Planeta):

"Discutir a relação, ainda que inconscientemente, é intrínseco ao ser humano. É um ato que sempre existiu. Antigamente, isto era visivel nos passeios de braços dados, nas conversas em volta da fogueira, nos casais sentados nos bancos das praças vendo o luar. O tempo passou, chegou o muito a fazer no dia-a-dia, responsabilidades demais, competição desenfreada, e os sentimentos foram ficando em segundo plano. Nesse momento, deu-se o nome de 'discutir a relação' a uma necessidade premente de conversar, desabafar, dizer ao outro o que se sente, enfim, estreitar laços com vistas a um futuro a dois mais prolongado.

Por que as mulheres têm essa "mania"

Algumas mulheres imaginam que colocando para fora todas as suas angústias, medos e ansiedade resolveram seus problemas emocionais e de relacionamento. Elas pensam em voz alta! Isso pode funcionar muito bem entre as amigas, mas com o companheiro é um risco muito grande. No momento da raiva e da explosão as palavras podem ser mal colocadas e as consequências desastrosas, responde a terapeuta.

Por que os homens odeiam

Os tempos são outros e agora eles aprenderam que conversar sobre os probleminhas tambem é importante. Hoje em dia os homens mudaram muito, ainda bem! Muitos lavam, cozinham, participam ativamente da educação dos filhos, discutem a relação e não se sentem menos homem por causa disso. Eles têm consciência de que são 50% responsáveis pela felicidade do casal. Mas, tomar a iniciativa não é privilegio nem dever apenas de um lado da relação.

"Toma iniciativa quem se sente incomodado e, mais que isso, deseja abrir o coracão e dar entrada para uma troca produtiva de sentimentos. Toma iniciativa quem ama de verdade e deseja seu companheiro inteiro ao seu lado", conta ela.

Como discutir a relação

A especialista em Relacionamentos Humanos, Regina Vaz, da dicas de como conversar com o parceiro de forma saudável. Anote:

1. Conversar no momento em que você e seu parceiro estiverem calmos e realmente dispostos a falar e ouvir.

2. Ambos devem estar predispostos , despidos de preconceitos, abertos para o entendimento mútuo.

3. O tom de voz é fundamental. A forma como são ditas as palavras, o jeito da conversa... E quando os ânimos se exaltarem, é preciso saber parar para não virar um jogo de acusações e ofensas.

4. Discutir a relação não é uma competicão para se saber quem tem razão, quem errou ou acertou. É o momento em que os corações se abrem para ver o outro , sentir o que ele sente e colocar-se no lugar dele.

5. Partir para uma conversa já com a retaguarda levantada, disposto a atacar, certamente levará a um final desastroso , que só fará piorar o que ainda pode ser consertado.

6. É importante que o casal esteja realmente sozinho , somente os dois, sem a presença de terceiros, muito menos os filhos.

>>> Curta a página do Delas no Facebook e siga o @Delas noTwitter <<<

Leia mais no Delas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.