Você sabia que a cada sete anos um novo ciclo começa em sua vida? O iG conversou com Samir Rahme, especialista no assunto, que mostra como funciona a teoria dos setênios

As 9 fases da vida: entenda a teoria dos setênios
Getty Images
As 9 fases da vida: entenda a teoria dos setênios


A teoria dos setênios foi elaborada a partir da observação dos ritmos da natureza, da qual nós humanos fazemos parte. Baseia-se em dividir a vida em fases de sete em sete anos. Os setênios demonstram como se pode entender os ciclos de vida de uma maneira prática e sábia. O número sete é muito importante na maioria das culturas. Vale lembrar que na bíblia Deus criou o mundo em sete dias; a semana possui sete dias; temos sete planetas relacionados ao homem (Sol, Lua, Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter, Saturno) que são também os sete deuses olímpicos; e são sete metais (ouro, prata, mercúrio, cobre, ferro, estanho e chumbo).

O iG conversou com Samir Rahme, especialista no assunto, que mostra como funciona a teoria dos setênios a seguir.

iG: Os setênios fazem parte da antroposofia, ciência que parte da compreensão do ser humano, para que ele entenda não apenas a si próprio, mas todo o universo. Como essa teoria pode ajudar o ser humano, em especial as mulheres?

Dr. Samir Rahme - Pode ajudar a entender que a vida é constituída de ciclos e que cada ciclo tem uma característica própria. As fases, ou ciclos, retornam numa idade posterior com um novo impulso. No caso das mulheres, ajuda a entender os processos do feminino, que vão do amadurecimento à capacidade reprodutiva até a menopausa, quando as forças da reprodução se transformam em força do pensar mais ligadas à introspecção, possibilitando uma ampla visão de vida.

iG: Como são divididos os setênios? Quando chegamos à maturidade?

Dr. Samir Rahme - Os três primeiros setênios - 0 a 21 anos - são denominados setênios do corpo. É um período em que o ser humano enfrenta a jornada do amadurecimento físico e formação da personalidade. Os três seguintes - 21 a 42 anos - são denominados setênios da alma. Nesse período, o ser humano já passou por todas as experiências básicas da vida, fazendo várias opções como vida conjugal, trabalho e família. A partir dos 42 anos, estamos prontos para "iniciar" a vida com maturidade, profundidade e espiritualidade.

iG: Qual dessas fases ou ciclos é a mais importante?

Dr. Samir Rahme - Cada ciclo tem sua importância. Porém, os três primeiros setênios- 0 a 21 anos - estão relacionados ao amadurecimento do corpo e a formação educacional, itens fundamentais para o desenvolvimento do ser adulto.

iG: Como tirar o máximo de proveito e aprendizado de cada ciclo?

Dr. Samir Rahme - Entender cada etapa ajuda a lidar com as crises, tirando o melhor proveito delas. Nossa vida é cheia de movimentos, cores, ritmos, harmonias e desarmonias. Cada um compõe sua própria musica existencial. Na infância, por exemplo, foi baseando-se nos setênios que o criador da Antroposofia, Rudolf Steiner, criou a Pedagogia Waldorf, que leva em conta justamente o desenvolvimento antropológico do homem.

Ou seja, cada ano na vida do jovem aprendiz tem uma importância e especificidade que só será vivida nessa idade, não sendo possível a "repetição" de anos. Afinal, fazemos, por exemplo, 8 anos uma vez na vida. Dos 7 aos 14 anos, o mundo é belo. Nessa etapa há uma prontidão para aprender. É um período ideal para incentivos nas áreas da literatura, esportes, música. Aqui são adquiridos valores que permanecerão pela vida toda.

iG: O senhor poderia ilustrar alguns desses ciclos citando um momento de vida de alguma grande personagem da história?

Dr. Samir Rahme - É importante frisar que para se entender uma biografia é necessário contextualizá-la como um todo, pois existem espelhamentos, retornos sob uma nova roupagem. Vou exemplificar com algumas fases da vida do famoso compositor alemão Ludwig van Beethoven.

No quarto setênio - 21 a 28 anos - vivenciamos a crise dos talentos. Nesse período os jovens sentem necessidade de viajar e estudar fora. É uma fase na qual se enfrenta o dilema da profissão ideal e aflora o sentimento de independência. Beethoven, aos 21 anos, sai de Bonn, sua cidade natal na Alemanha, para se instalar em Viena. Nessa época, escreve "As Criaturas de Prometeu".

Dos 35 aos 42 anos, o ser humano passa pelo sexto setênio, no qual enfrenta a crise da autenticidade. É uma etapa em que se busca reconhecer os limites, estabilização da vitalidade, relação do ser e ter. Aqui se inicia a fase de maturidade do ser. É a fase da busca do equilíbrio entre o espiritual e o terreno. Por isso, acreditamos que a vida começa aos 42. Com 42 anos, já maduro e surdo, Beethoven escreve sua Sétima Sinfonia, tornando-se finalmente popular. Logo depois, cai em profunda depressão física e mental.

O sétimo setênio - 42 a 49 anos - é a fase da crise biológica, nova adolescência. Nesse momento, o ser humano desenvolve a coragem para atuar, aumenta-se a capacidade de altruísmo (fazer o bem) e de correr riscos. Aos 49 anos, ele inicia a composição de sua obra máxima: a Nona Sinfonia cujo tema é chegar à alegria através da dor.

Ideias que definem os setênios

0 a 7 anos -  O ninho. Interação entre o individual (adormecido) e o hereditário

7 a 14 anos -  autoridade amada

14 a 21 anos -  puberdade /adolescência - crise de identidade

21 a 28 anos -  experimentar limites

28 a 35 anos - fase organizacional

35 a 42 anos -  crise de autenticidade

42 a 49 anos -  altruísmo x querer manter a fase expansiva

49 a 56 anos - ouvir o mundo

56 a 63 anos (e adiante) -  abnegação / sabedoria

Tatuagens marcam nova terceira idade
Edu Cesar / iG



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.