Cris Cyborg e Ana Maria Índia, ícones do MMA brasileiro, mostram que é possível manter a feminilidade dentro e fora dos ringues

Cris Cyborg (esq) e Ana Maria Índia, as duas estrelas do MMA brasileiro
Arquivo pessoal
Cris Cyborg (esq) e Ana Maria Índia, as duas estrelas do MMA brasileiro
Entre um soco e um pontapé, há um hiato para vaidade e feminilidade. Lutadoras profissionais de MMA (Mixed Martial Arts), o famoso Vale-Tudo, Ana Maria Índia e Cris Cyborg levam uma vida normal, ao mesmo tempo dentro e fora dos padrões da mulher brasileira. Profissionais reconhecidas, dedicadas e respeitadas no cenário nacional e internacional, as duas dão de ombros para os preconceitos e assumem uma vida intensa de treinos, mas tranquila, caseira e feminina. Conheça o perfil de cada atleta:

Luta-livre, marido e cachorro - Cris Cyborg equaliza bem os afazeres do lar e a dedicação ao esporte

Ana Maria dos ringues - Ana Maria Índia é reconhecida pelos traços e golpes marcantes. Vive em um quarto cor-de-rosa e não descuida das unhas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.