Pesquisa revela uma maior participação feminina em cargos de liderança. Área de Finanças apresentou maior alta

Em 2009, segundo estudo, 23% das contratações na área de Finanças para cargos de gerência e diretoria eram preenchidas por mulheres. Número aumentou para 40% em 2011
Thinkstock/Getty Images
Em 2009, segundo estudo, 23% das contratações na área de Finanças para cargos de gerência e diretoria eram preenchidas por mulheres. Número aumentou para 40% em 2011
Uma nova pesquisa divulgada pela empresa de recrutamento especializado em gerência e alto executivos, Michel Page, traduz em números o que muitos já vivenciam em seus ambientes de trabalho: a participação feminina em cargos de gerência e diretoria aumenta em áreas que antes eram vistas como redutos masculinos com pouca presença de mulheres.

“Finanças foi uma grande surpresa. As mulheres estão muito mais presentes na gestão da área financeira, que antes era vista como mais masculina ”, constata o diretor de marketing para América Latina da Michel Page, Sérgio Sabino.

O estudo mostra que em 2009 apenas 23% das contratações na área de Finanças para cargos de gerência e diretoria eram preenchidas por mulheres. Esse número aumentou para 40% em 2011.

A diretora da empresa de recrutamento especializado Hays, Alexia Franco, observa que esse movimento não é de hoje. “Historicamente vemos que em bancos, por exemplo, as mulheres são maioria em áreas de relacionamento e investimento. O que mudou foi que esse cenário saiu do mercado financeiro e agora também se repete nas empresas.”

Leia também:
- Quando o passado pode interferir na sua vida profissional
- Ninguém me ouve no trabalho

Outro setor que mostra um avanço na presença feminina é o de Seguros. Enquanto 44% das contratações eram de profissionais do sexo feminino em 2009, neste ano elas alcançaram 50%.

Os dados demonstram também uma mudança de perfil na gestão de Tecnologia da Informação. As mulheres respondiam por 25% dos cargos de chefia e gerência em 2009. Esse número foi para 29% em 2010 e atingiu 30% neste ano.

Algumas áreas que são historicamente redutos femininos, como Recursos Humanos, apresentaram queda no percentual de contratações de mulheres.

Dos gerentes e diretores, 72% eram mulheres em 2009. Esse número atingiu 69% em 2010 e caiu mais ainda em 2011, quando elas representaram 67% das contratações. “RH é uma área muito procurada desde a graduação por mulheres. Mas a pesquisa mostra que a situação está mudando um pouco”, analisa Sérgio.

O diretor de marketing sinaliza para um motivo que explicaria o avanço da participação feminina em cargos de gerência e chefia em áreas antes masculinas: “Há muito tempo que se enxerga a competência das mulheres e também seu conhecimento técnico. Mas o mercado parece estar mais atento também a outras características como capacidade de conciliação e habilidade de propiciar um bom clima organizacional que as mulheres demonstram ter”, afirma Sérgio.

Contine lendo:
- 9 palavras e expressões contraindicadas no trabalho
- Mulheres com sobrepeso têm mais dificuldade de subir na carreira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.