Não carregue o peso de ter uma relação igual ao casamento dos pais ou àquilo que eles sonharam: isso pode acabar com sua relação

Especialista recomenda: pare um minuto e
descubra quais são as suas expectativas, para
não reproduzir a dos outros sem perceber
Getty Images
Especialista recomenda: pare um minuto e descubra quais são as suas expectativas, para não reproduzir a dos outros sem perceber
A administradora Alice B. Garcia, 31 anos, percebeu que alguma coisa estava errada dentro do seu casamento. Um excesso de cobrança e de insegurança que a atormentava e parecia não ter muito fundamento. Foi quando resolveu procurar ajuda profissional. “Meu casamento estava no buraco. Eu cobrava ele demais. E não entendia isso. Até que depois de fazer análise, descobri que estava querendo que a minha relação fosse como a dos meus pais. Me senti igualzinha ao sr. Paulo (o pai dela). Às vezes soltava até as mesmas frases, os mesmos dramas”, conta ela.

O que muita gente não sabe é que esse tipo de situação é muito comum entre os casais. Fazer com que o seu casamento funcione como o dos seus pais é uma furada. E pior ainda é viver em cima das expectativas frustradas que eles tiveram durante o casamento deles, tentando evitar que tudo se repita no seu. Essa paranoia pode enlouquecer você e mandar a sua relação pelos ares.

Antes de tudo é preciso entender que não existe uma fórmula matemática para o casamento. A equação adotada por seus pais foi o caminho que eles decidiram seguir, dando certo ou não. “O que pode existir é a vontade entre as pessoas de fazer o relacionamento dar certo. Não há regras definidas, uma vez que cada ser humano é único, com seus desejos e anseios particulares”, explica Maura de Albanesi, diretora do Instituto de Psicoterapia Avançada AMO.

Na tentativa de transformar o casamento dela no 'conto de fadas com final feliz' que os pais viviam, a sonoplasta Mariana A Gusmão, 29 anos, acabou vivenciando um filme de terror. “Meus pais são casados há 40 anos, se amam, se respeitam. Para mim, eles eram felizes e eu buscava também essa mesma felicidade. O que eu não entendia é que nós não somos minha mãe, nem o meu pai. Temos outros problemas, vivemos em outra época, somos outras pessoas. Infelizmente meu casamento não deu certo. Agora percebo bem o motivo disso tudo”, desabafa Mariana.

É fundamental viver a relação com vontade de compartilhar, sem querer moldar o outro ou você mesma conforme suas idealizações ou desejos depositados por terceiros. “É gostar e aceitar o cônjuge como ele é. Ver o seu melhor, compreender o seu pior. Mas procurar gostar daquele que o outro realmente é”, explica a especialista.

Se é um grande engano querer transformar o seu casamento no mesmo casamento dos seus pais, ainda pior é vivenciar a sua relação evitando os erros que você enxergava na convivência deles. “É bobagem seguir determinadas atitudes que conferem ao casal uma simples repetição do que já viram não dar certo em seus antepassados, seus avós e pais com o intuito de ter uma relação “de verdade” e o pior – o que não condiz com o que realmente sentem e acreditam, porém não se permitem conscientizar”, garante Maura.

Autoconhecimento
Por que não dar um tempo para você e pensar sobre tudo aquilo que você deseja, espera e se importa dentro de uma relação? Tirar um momento de autoconhecimento pode ajudar a evitar comparações e a fazer você se perceber e perceber o outro. “Na verdade poucos questionam o que querem, para seguir o que a mídia prega, o que o vizinho fez ou o que os pais esperam”, explica a especialista.

A psicóloga Maura de Albanesi separou algumas atitudes que as pessoas comumente repetem. Fique de olho e não caia nessa armadilha.

- Disfarçar a insegurança com o ciúme;
- Acreditar que a sua felicidade depende do outro;
- Deixar de lado suas vontades para viver a do outro;
- Seguir o discurso da sociedade ou da família ao invés de seguir o seu íntimo;
- Acreditar que amar é sofrer;
- Achar que devem estar todo tempo juntos;
- Acreditar que se casa com a família, e não com o parceiro(a).

Então, nada de se casar com 20 anos simplesmente porque sua mãe fez isso ou quis assim. Filho aos 25, sem estar preparada e desejar por isso? Errado. “Além de não seguirem o que realmente desejam, as pessoas acabam tornando momentos que poderiam ser felizes em verdadeiro estresse. O preparo para o casamento faz o casal brigar. Cuidar do filho que não estavam no momento de ter faz o casal brigar. Será que tudo foi feito segundo a vontade e a condição do próprio casal? Ou seguiram os conselhos da sociedade e da vovó?”, questiona a especialista.

Experimente aceitar sem se acomodar, sonhar sem se iludir e melhorar sem comparar. É um pouquinho a mais de felicidade garantida.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.