Surpresas são uma delícia! Uma amiga chega com o livro Sopa de Romãs, da autora iraniana Marsha Mehran...

O livro diz que a combinação "histórias e cozinhas mágicas" onde fervem caldeirões de aromas exóticos e emoções temperadas de fantasias tinha tudo a ver comigo...amigas são assim, espelhos generosos de nós...

Nina Horta fez a saborosa tradução do livro e adaptou as receitas que vão pontuando a narrativa costurada com as cores da tal cozinha mágica: dourados de samovares antigos, anil de ladrilhos e vermelhos...de romãs.

Romã aqui para nós é frutinha de quintal , daquelas que não vão prá mesa de festa, ficam no pé, ao sabor das crianças e dos passarinhos...

No Dia de Reis lá em casa, faziam parte do ritual de prosperidade que incluía comer um bago, escolher seis sementes, jogar o resto para trás e guardar as sementes secas na carteira até o ano seguinte.

Romãs são símbolos tradicionais da fecundidade, em alguns lugares da Ásia a fruta aberta representa a própria vulva. Na Grécia, era fruta de Afrodite, a deusa do amor e da beleza e de Hera, a deusa que regia os casamentos e os partos.

Também é parte de um dos mitos mais antigos e mais profundamente relacionados aos mistérios femininos. A história de Deméter e de sua filha, Perséfone.

A bela e jovem Perséfone, filha do poderoso Zeus e de Deméter, a grande deusa da Natureza, colhia flores junto com as Ninfas, na planície de Ena, sob o sol da primavera na Sicília. Tão linda e tão iluminada em sua juventude que Hades, senhor do mundo subterrâneo se apaixonou perdidamente por ela.

E lá estava então a moça, na campina florida quando reparou em uma flor estranha, bela e de perfume desconhecido, irresistível, um narciso, na verdade, mas da espécie que só floresce nos sonhos. Maravilhada, a moça se afastou das companheiras querendo aproximar-se do tufo de cores que, aparentemente, só seus olhos viam.

No momento em que abaixou-se para colher a flor magnífica, no entanto, a terra abriu-se sob seus pés e de suas entranhas ela viu emergir o carro negro puxado por quatro cavalos selvagens e igualmente negros do Senhor das Trevas, imponente, belo e terrível. E num segundo, Perséfone, mergulhada em encanto e terror, é raptada e levada para as profundezas do reino de Hades ou Plutão.

Raptos não chegavam a ser incomuns naqueles tempos, mas Hades talvez tenha subestimado sua futura sogra. Deméter, inconformada com a partida da única filha, refugiou-se na tristeza e deixou de cuidar da terra, que cobriu com sua própria desolação.

A história das peregrinações de Deméter em busca de Perséfone é longa e tão obstinada que Zeus, vendo as sementes murcharem antes de germinar e os campos mergulhados num inverno estéril e sem fim, resolveu intervir. Comandou a volta de Perséfone da mansão de Hades, mas a ordem chegou quando já era tarde....

Hermes ou Mercúrio, o mensageiro de Zeus chegou ao mundo dos mortos para fazer cumprir os desejos do grande deus e encontrou Hades, magnífico, e a bela Perséfone juntos, sentados em imensos tronos negros de ébano.

Antes de deixar a noiva partir, Hades deve ter murmurado ao seu ouvido palavras ardentes e ofereceu-lhe numa bandeja de delícias, uma romã, que a jovem provou, encantada e sem saber que nem mesmo Zeus poderia tirar do mundo subterrâneo uma criatura que tivesse bebido ou comido algo de lá.

Foram seis gominhos de romã que tornaram a jovem para sempre Senhora do Reino das Sombras , ao lado de seu terrível e poderoso marido.

E foi assim que Deméter , bondosa mãe da Natureza, teve que resignar-se a ter a filha junto de si apenas por alguns meses no ano, sempre ao findar do inverno, quando Perséfone chegava iluminada, carregando nos pés a Primavera, mais uma vez.

E foi assim também que as criaturas tiveram que se acostumar com o ritmo circular do tempo, com o eterno germinar das sementes, do caminho de todas as coisas do escuro para a luz e de volta, sem parar...

Romãs...quem diria...tem tudo a ver conosco...


Para ler Sopa de Romãs , Marsha Mehran, editora Jaboticaba, tradução de Nina Horta.

Conte aqui para nós. Você conhece alguma receita com romãs? E uma outra pergunta: o que você gostaria de preparar numa cozinha mágica?

Leia mais sobre: romã

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.