Além dos apreesadinhos, motoristas convivem com testemunho compulsório de barracos pessoais e até almoço dos outros

Quase tudo é negociável entre taxista e passageiro. Mas algumas coisas passam dos limites
Getty Images
Quase tudo é negociável entre taxista e passageiro. Mas algumas coisas passam dos limites
ENTENDA: CLIENTES MALCOMPORTADOS

Dentro do táxi, a maior dificuldade do cliente é entender até onde vai seu espaço. “Muita gente mal diz o endereço, pega o celular e começa a brigar com a mulher, falar coisas particulares com a namorada. É uma falta de respeito com quem está ali ouvindo tudo“, afirma Rubens Marques da Silva, 47, taxista da Coopertax, no ramo há 15 anos.

Leia também:

Motoristas deixam carro por independência
Teste: Você é um consumidor sustentável?

Embora seja mais raro, ele conta que aqui e ali aparecem também casais que abusam nas demonstrações de carinho. “O pessoal do gosto alternativo gosta de causar, passar dos limites. Querem chamar a atenção, mas precisa ter respeito”, reclama.

Puxar um lanchinho da bolsa e fazer uma boquinha também não é uma atitude muito bem-vista, principalmente se o passageiro não pedir licença. “No táxi, não pode fumar por lei. Mas tem um problema: as pessoas não têm tempo de almoçar. Então comem um lanche entre uma reunião e outra, e não tem como impedir”, lamenta Carlos Alberto, taxista da Central Rádio Táxi. A prática deixa migalhas e cheiro que podem incomodar, além do motorista, o próximo passageiro. Isso significa que ele tem que parar para limpar o carro ou prestar serviços com o veículo em condições abaixo das ideais.

CURTA A PÁGINA DO DELAS NO FACEBOOK E SIGA NO TWITTER

Volume e estação de rádio, conversa alta no celular, vidros abertos ou ar condicionado - tudo isso é negociável. Basta o passageiro lembrar que o carro não é dele, e ser educado ao pedir alguma coisa.

Com relação aos caminhos, descontar seu próprio atraso no motorista é, além de errado, grosseiro. “Quando está com pressa, o passageiro pede para costurar. É imprudente e coloca os outros em risco, além de ser extremamente desagradável”, lamenta Rubens. “Você não pode desrespeitar a lei porque a pessoa se atrasou no banho.” Também não vale descontar no taxista o mau humor porque o trânsito está ruim: a melhor solução é sair de casa com antecedência.

PRESTADORES DE SERVIÇO REVELAM MAIS COMPORTAMENTOS DESAGRADÁVEIS:

Porteiros
Garçons
Entregadores
Manicures

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.