Kirsty Moore é primeira mulher a se unir aos pilotos do Red Arrows, grupo acrobático de aviões a jato da Força Aérea Britânica

Pertencer ao Royal Air Force Aerobatic Team (Grupo Acrobático da Força Aérea Real da Inglaterra), mais conhecido como Red Arrows, significa ser um dos melhores profissionais da área dos aviões a jato. Entre os pilotos ingleses de plantão, é um cargo muito cobiçado. Mas entre as mulheres também – e recentemente a tenente de voo Kirsty Moore foi a primeira mulher a alcançá-lo.

Encorajada a entrar para Força Aérea Real por seu pai, renomado piloto que combateu na Guerra do Golfo, Moore foi escolhida para o cargo em maio deste ano, mas somente agora se pronunciou aos meios de comunicação britânicos. De acordo com o jornal Times Online, com 32 anos ela teve que treinar por mais de 1.500 horas de voo e superar outros 40 pilotos experientes para alcançar o lugar.

Com oito companheiros de equipe, todos homens, Moore afirmou que sabe que, para aqueles que veem sua nomeação de fora, é uma grande coisa, mas para ela é tudo uma questão de tempo e, uma hora ou outra, alguém se tornaria a primeira mulher a se unir ao Red Arrows. Além disso, ela declarou ao Times Online: “O fato de ser uma mulher não faz diferença para mim, porque toda a minha vida fui uma e tenho sido uma piloto desde que me uni à RAF (Força Aérea Real) ”.

Após estudar Engenharia Aeronáutica em Londres, a piloto de elite entrou para a RAF em 1998 e, embora só comece na nova função em 2010, segundo a BBC britânica, já está treinando desde setembro deste ano para tal. Até 2012 está confirmada sua presença na equipe, quando se apresentará na cerimônia de abertura das Olimpíadas de Londres junto ao grupo de ases.

De acordo com o jornal local do condado de Lincolnshire, da Inglaterra, chegar onde chegou é o sonho de Kirsty desde que ela tinha sete anos de idade. Em entrevista ao Times Online, ela afirma que espera inspirar outras mulheres a alcançar seus respectivos sonhos. “É importante desafiar os limites; se você realmente quer fazer algo, deve ir atrás. Espero que, por eu ter me tornado uma piloto Red Arrows, algumas garotas pensem que elas também podem fazer parte disso e corram atrás”, completa a inglesa.

Assista ao vídeo "Primeira mulher na Força Aérea Britânica"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.