Pessoas que se vestem com roupas do gênero oposto devem usar qual banheiro? Vote

O cartunista paulistano Laerte Coutinho, 60, tem sido motivo de comentários no Twitter nesta quinta-feira (26). O alvoroço começou na noite da última quarta-feira (25), quando Laerte - que é crossdresser (pessoa que se veste com roupas do gênero oposto) - postou na rede social que fora instado pelo gerente de um restaurante da capital paulista a usar o banheiro masculino. O pedido veio depois que uma freguesa reclamou ao se deparar com ele no banheiro feminino.

O cartunista estuda a possibilidade de entrar com uma ação contra o estabelecimento, alegando discriminação. O episódio foi o suficiente para levantar a discussão no Twitter. Aqueles que concordam com Laerte alegam que o fato de ele se ver como mulher o credencia a usar o banheiro feminino e que no banheiro masculino ele estaria sujeito a sofrer algum tipo de violência. Já os que são contra dizem que, como ele é assumidamente bissexual, usar o banheiro feminino poderia ser uma forma de assédio.

A tuiteira @alesie comentou: “Tô com minha filha num banheiro. Entra Laerte vestido de mulher. Eu também vou falar com o gerente”. @nontequiero concordou. “Ele se veste de mulher, mas é hetero. E quer usar banheiro feminino. Hum, acho que não, Laerte”, escreveu.

CURTA A PÁGINA DO DELAS NO FACEBOOK E SIGA O @DELAS NO TWITTER

Já @vleonel se posicionou a favor do cartunista: “no caso de Laerte, ela se vê como uma mulher (assim q ela está querendo ser tratada)”, assim como @elisagargiulo: “entre banheiro masculino (em direção a provável violência homofóbica) e o feminino (‘chocando’ a família), eu faria como o Laerte”.

E você, em que lado está? Vote na enquete abaixo:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.